Publicidade

Vereador retira requerimento que pediria remoção de vidro que separa auditório do plenário

Conforme prometido, o vereador Elias Ferreira (PSB) protocolou na secretaria da Câmara Municipal de Parauapebas o Requerimento nº 010/2018, pedindo anuência dos membros daquele parlamento para a remoção do vidro que separa o plenário (espaço onde ficam os vereadores) do auditório (onde fica o público).

Porém, o requerimento, mesmo entrando na pauta, foi retirado antes de ser apresentado ao plenário, sob a alegação de ter sido, previamente, rejeitado por sete dos 11 vereadores consultados. “Preferi evitar a exposição depois de consultar os vereadores. Então, deixarei para outro momento, quando conquistarei votos de um número maior de parlamentar”, afirmou Elias Ferreira, justificando nunca ter visto a necessidade daquele vidro, já que a população não tem demonstrado agressividade com os parlamentares.


Uma equipe de reportagem deste portal de notícias consultou alguns vereadores que se opõem à retirada do vidro, para ouvir suas opiniões. Um deles foi o vereador Ivanaldo Braz Simplício (PSDB), que viveu a experiência de presidir aquela Casa de Leis no biênio 2015/2016, e em sua opinião o vidro deve ser mantido ali.

“Já detectamos pessoas armadas com faca no auditório, e isto representa perigo para nós. O vereador precisa se sentir seguro, enquanto discute assuntos trazidos pelo próprio povo, e o momento de ter contato com a população é em seus respectivos gabinetes, nos dias que escolher para fazer atendimentos”, compreende Ivanaldo Braz.

Outro consultado foi o vereador Zacarias de Assunção Vieira Marques (PSDB). Ele diz entender que desde que o prédio da Câmara foi concebido o vidro já estava contido. “Votei contra e continuarei sendo contra. A gente tem coisas mais importantes para pensar e não ficar inventando situações como esta”, afirmou Zacarias Marques.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu