Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

12 DE OUTUBRO: As lições de crianças com deficiência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Isabela, quando nasceu, os médicos deram apenas dois meses de vida para esta mocinha, porém, superando todas as expectativas, sete anos se passaram, e ela, apesar de todas as dificuldades é uma criança que esbanja alegria e é uma lição de vida para qualquer um.

A história da luta desta garotinha começou no dia 26 de março de 2012, quando a dona Elisângela Araújo descobriu que estava grávida do terceiro filho, aos seis meses no pré-natal, através de uma ultrassom, o médico veio com notícias nada boas, pois o bebê que estava sendo gerado na barriga da mamãe era uma menina que padecia de três anomalias, Mielomeningocele, hidrocefalia e pé torto congênito, e a melhor solução tanto para a futura mãe e para o bebê, era interromper a gravidez.
“Na hora que o médico falou isso meu mudo veio ao chão, a primeira coisa que eu fiz foi pedir a Deus que me desse a oportunidade da minha filha nascer e eu ver o rostinho dela, pois ainda tinha mais três meses de gestação pela frente”, diz dona Elisângela aos prantos.


A família optou em prosseguir a gestação e Isabela Araújo nasceu no dia 23 de novembro às 16h30, ela veio ao mundo com 2 Kg aproximadamente, e um dos médicos chegou a falar que ela não viveria mais de dois anos.
A partir deste dia, até hoje começou a luta para sobreviver desta grande pequena criança, e nestes sete anos de vida, quase para completar oito, ela já passou por 16 cirurgias.
“Praticamente todas as vezes que minha filha ia para uma mesa de operação eu pensava que era a última vez que a veria, pois sempre ela estava em coma ou entubada, e sempre registrou, a última operação foi em março deste ano, antes de começar esta loucura da pandemia, o procedimento durou a metade do tempo que os médicos estipularam e todos saíram dizendo que tudo tinha saído muito bem!”, ressalta dona Elisângela.

Durante a conversa com Isabela, ela relembra de algumas das operações.
“Eu tenho uma válvula na cabeça, os doutores já tentaram arrumar minhas pernas e agora no hospital SAARA em Brasília, onde mora o irmão da minha mãe, meu tio, eles arrumaram minha coluna”, relatou a garota, mostrando as cicatrizes nas costas.

 

A alegria e a curiosidade é algo bem típico da garotinha, que “conversa pelos cotovelos”, e também te enche de perguntas, e por onde passa, ela esbanja simpatia, sorrisos e conquista a todos em questão de segundos.
“Eu sou uma criança muito feliz tio, e eu amo todo mundo”, conta Isabela com um grande sorriso.

E neste dia em que se comemora o Dia das Crianças, dona Elisangela deixa um recado para todas as mães.
“Desfrute de cada segundo com seus filhos, se puder brinque, corra e dê muitas gargalhadas com eles, pois as crianças são luz no nosso mundo, e Isabela veio ao mundo para transformar minha vida e de muitas outras pessoas por este mundo de Deus”, finaliza a mãe orgulhosa.

 

Publicidade

Veja
Também