23º Batalhão de Polícia Militar comemora 29 anos de implantação em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (19), a solenidade em alusão ao aniversário de 29 anos do 23º Batalhão de Polícia Militar em Parauapebas.

A cerimônia contou a presença de autoridades municipais e das cidades vizinhas, dentre eles o Comandante do Batalhão de Parauapebas, Tenente Coronel Sandro Queiroz; Valmir Marino, prefeito de Parauapebas; Divino Campos, prefeito de Eldorado do Carajás; Jeová Andrade, prefeito de Canaã dos Carajás; Líbio Moura, juiz de Direito; dentre outros.


Foram entregues condecorações para as autoridades em reconhecimento aos relevantes trabalhos prestados e a vários policiais que se destacaram dentro do ofício de zelar pela segurança.

Entre os homenageados estão Diógenes Samaritano, Agente de Trânsito do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (DETRAN), o Coordenador do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte de Parauapebas (DMTT) Glauber Motta, entre outras pessoas que prestaram relevantes serviços que ajudaram nos trabalhos da Polícia Militar em Parauapebas.

O prefeito Valmir Mariano, em seu discurso, disse que Parauapebas é uma região de conflitos. “O Batalhão nasceu antes mesmo da emancipação da cidade. Apesar da dificuldade, estamos melhorando a segurança exatamente por perceber que é um dos pontos cruciais de uma sociedade. O resultado é uma consequência do que já vínhamos fazendo”, destacou o gestor.

O Juiz Líbio Moura enfatizou o trabalho que é realizado pelo Poder Judiciário para manter a tranquilidade e a pacificação social. Em seu discurso, ele citou o momento em que a cidade vive. “Este ano de 2015, por uma crise institucional, é um ano perdido. É preciso que ele sirva para mostrar que é preciso separar o joio do trigo. É preciso mostrar quem são os bons servidores públicos e quais são os que não prestam. Não basta apenas sermos honestos, temos que provar”, disse o juiz.

O magistrado disse ainda que um ano foi perdido por uma crise de vaidade e sentimento pessoal de enriquecimento ilícito. “Perdemos um ano por uma ‘pirotecnia’ de pessoas que nem neste município vivem”, destacou, repetindo em seu discurso a frase que costuma falar: “Parauapebas não é terra para criar lobista, não é terra para crime organizado mandar e não pode ter pistoleiro exercendo poder público”, frisou Dr. Líbio.

O Tenente-coronel, Sandro Queiroz, destacou a importância da data e ócio do ofício militar. “Nossa finalidade é preventiva, mas quando é necessário atuamos também de forma repreensiva, dentro dos rigores da lei”, ressaltou o tenente-coronel.

O oficial declarou que o 29º aniversário do Batalhão é motivo de grande satisfação. “O que inicialmente foi concebido como a primeira Companhia Independente de Policiamento Ambiental acompanhou a evolução social e o crescimento da região de Carajás e hoje se denomina 23º Batalhão, que nada mais é do que uma unidade operacional da Polícia Militar do Pará”, pontuou.

O 23º BPM atua nos municípios de Eldorado do Carajás, Curionópolis, Canaã dos Carajás e Parauapebas com um efetivo de 271 policiais.

Reportagem: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

veja também