Publicidade

A mando da justiça, Rodovia BR-155 tem tráfego liberado em Eldorado do Carajás

Fotos: Erik Ranieri | Portal Pebinha de Açúcar

Com manifestação iniciada na manhã de terça-feira (29), causando transtornos por causa de congestionamentos, dado ao fato de tratar-se de uma via que é corredor que interliga estados como, Mato Grosso, Tocantins, Goiás e demais do Centro Oeste e Sudeste à Belém, a Rodovia BR-155 teve o seu tráfego liberado na tarde desta sexta-feira (1) em Eldorado do Carajás.

Quem conversou com a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar foi o Coronel da Polícia Militar Juniso Honorato e Silva, que informou que por volta das 12h00 de hoje recebeu um oficial de justiça da Vara Federal de Marabá que apresentou um mandado de reintegração de posse e interdito proibitório para ser cumprido na BR-155 em Eldorado do Carajás. O documento foi expedido pelo Juiz Federal Heitor Moura Gomes.


 

“Acompanhamos o oficial de justiça até os manifestantes, fizemos o comunicado ao pessoal da Febram e conseguimos desobstruir a Rodovia BR-155 sem nenhum tipo de atrito entre os policiais e manifestantes”, relatou o Coronel Juniso, afirmando que a operação cintou com 30 policiais militares e o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

 

Negociação com o Governo Federal

As informações chegaram à nossa redação através da organização do movimento com relatos de que vários deputados e senadores estão conversando com o Governo Federal na busca de atender a demanda dos garimpeiros de várias partes do país, inclusive de São Félix do Xingu, município situada no extremo sul do Pará.

De acordo com um dos organizadores do movimento, Gilson Fernandes, a principal exigência é que o presidente Jair Bolsonaro revogue o Decreto que permite a destruição de máquinas e equipamentos de garimpeiros; por entender não ser justo que o patrimônio adquirido ao longo de anos de trabalho seja alvo dos órgãos fiscalizadores. Ainda no entendimento dos garimpeiros, todos precisam trabalhar livremente dando lucro ao país e gerando, além de postos de trabalho, aquecimento na economia.

 

“Vamos acreditar no posicionamento positivo do Governo Federal para termos a possibilidade de, ao sair da ilegalidade, contribuir ainda mais com esse país”, planeja Gilson Fernandes, Coordenador da Federação Brasileira da Mineração (Febram), que deve enviar uma comissão até Brasília para que o assunto possa ser discutido com autoridades federais.

Compartilhe essa notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Tags

Veja também

Fechar Menu