Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Abandonada e destruída, Praça da Bíblia de Parauapebas precisa de um “milagre”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Praça da Bíblia, no Morro dos Ventos em Parauapebas, está abandonada e se acabando. E não é pela ação dos ventos que sopram no morro central da parte principal da cidade. A destruição é fruto da irresponsabilidade de vândalos e da falta de iniciativa do atual Governo Municipal.

As marcas de pneus de motos “do exibicionismo da molecada” estão impressas no piso e na cobertura da tenda principal. A confecção da tenda central, feita sob medida para o local, com um designer inovador, com o objetivo de encantar visitantes, turistas e aos que fizessem uso do logradouro, hoje com um pouco mais de um ano não passa de uma lona velha suja.


Inaugurada em 26 de setembro de 2012 pelo então Prefeito Darci Lermen, a Praça da Bíblia tinha a nobre finalidade de dar aos evangélicos um local para lazer, cultos e orações. Para a população de modo geral seria um local para bons momentos de olhar cidade de um mirante que mostra toda a expansão da área urbana. Equipada com quiosques, deques, playgrounds, borboletário, é agora uma pálida ideia do projeto original.

Quebrada, abandonada, esquecida e vigiada por um guarda de uma empresa de segurança particular, que é a única pessoa que se ver por lá. E, que pelo estado em que encontra, percebe-se que não consegue sequer inibir a ação destruidora de quem frequenta a praça durante a noite para fazer bebedeiras, sexo, e arrebentar com o que foi construído com dinheiro público.

Enquanto o mato cresce, adubado pela insensibilidade do Poder Público Municipal – aninhado nos fundos da praça, um pouco mais abaixo do topo do morro – as plantinhas que foram levadas para enfeitar e dar um pouco mais de beleza ao local, estão morrendo, secando, por falta de alguém que possa regá-las como deve ser.

Uma atitude inteligente e de respeito pela imagem de Parauapebas seria fechar o local e desautorizar a visitação, até para garantir a segurança das pessoas. Fica a dica. O que é uma pena.

Reportagem e foto: Demerval Moreno – Radialista e diretor da Arara Azul FM

Publicidade

Veja
Também