Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

ABB Brasil desenvolve tecnologia pioneira e sustentável para S11D

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A ABB, líder global em tecnologias de energia e automação, desenvolveu soluções digitais personalizadas para o Ferro Carajás S11D, maior projeto de minério de ferro da história da Vale, que será completamente automatizado. As soluções da ABB incluem serviços exclusivos de eletrificação e automação da planta, área que envolve a mina de exploração e a usina de beneficiamento, além das instalações de apoio. Com ferramentas de alta tecnologia, a planta opera com alta produtividade, diminuindo o custo de produção do minério de ferro.

O complexo de mineração em Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará, será inaugurado em 15 de dezembro.  Além da automação, o fornecimento de energia também é feito pela ABB, por meio de duas subestações de alta tensão 230-34,5kV com potência que poderia iluminar 1.242.000 residências, que equivale a quatro cidades como Guarulhos em número de habitantes. Dessa maneira, há redução do tempo de implantação do empreendimento. As inovações para o S11D possibilitam que a manutenção dos equipamentos seja feita em tempo real.


O centro de expertise da ABB Brasil desenvolveu uma solução exclusiva que gerencia de forma remota e inteligente todos os ativos da planta em tempo real. Um exemplo é o AssetVista, desenvolvido pela empresa no país. A solução é capaz de delinear uma estratégia assertiva e eficiente de manutenção e serviços. Por meio do mapeamento imediato de dados relevantes e com uma interface de fácil utilização, é possível gerar relatórios detalhados para a tomada de decisão.

Outro importante diferencial do projeto é o sistema truckless, que utiliza 37 quilômetros de correias transportadoras para movimentar todo o minério na mina, ao invés de 100 caminhões fora-de-estrada que seriam necessários para realizar esta tarefa em uma planta convencional. A substituição dos caminhões pelas correias transportadoras permitirá a redução de 77% do consumo de combustível. Esses dados se referem à operação total da planta (3 linhas de produção) e no período de 1 ano.

 

Publicidade

Veja
Também