Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Academia Jovem concertante faz concerto hoje em Canaã e encerra turnê no sábado em Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Projeto criado pela pianista Simone Leitão e que estreou em Parauapebas com Centro Cultural lotado, apresenta 22 músicos do estado

Dos 28 jovens que ensaiam desde 24 de janeiro no Centro Cultural de Parauapebas, sob regência do maestro Daniel Guedes, 22 são do Pará. Dentre os 28, 15 são musicistas, o que segundo Simone Leitão caracteriza esta etapa como uma “Etapa Feminina”.


Academia Jovem Concertante – Etapa Pará estreou nesta última terça-feira, dia 30 e lotou o Centro Cultural Parauapebas. Hoje, a orquestra se apresenta em Canaã dos Carajás, no Ginásio Municipal Poliesportivo “Chorão”, e no sábado, dia 3, faz o concerto de encerramento em Marabá, na Faculdade Metropolitana.

Ao longo de um mês, o projeto organizou um processo seletivo para escolher os músicos. Reunidos para um intenso cronograma de ensaios, participaram de workshops e masterclasses.

Nesta etapa, também intitulada de Etapa Mozart, o programa é composto pela Sinfonia no. 40 em sol menor e Concerto para piano e orquestra em Fá Maior KV 459, de Mozart, além de peças de compositores brasileiros.

A Etapa Pará da AJC tem patrocínio da Vale por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura do Governo Federal.

ACADEMIA JOVEM CONCERTANTE

A Academia Jovem Concertante, projeto que tem direção artística da pianista Simone Leitão e regência do violinista Daniel Guedes, estreou em 2012 com uma turnê que percorreu sete estados brasileiros (Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Rondônia). Desde então, já apresentou etapas no Rio de Janeiro, São Paulo, Maranhão e agora no Pará.  O projeto é um trabalho intensivo, itinerante, com repertório orquestral variado, que visa preparar o jovem músico para o seu futuro como integrante de orquestras relevantes do país, e levar a música sinfônica para lugares e espaços pouco explorados no país.

 

SIMONE LEITÃO

Com uma carreira ativa como recitalista, camerista e solista de orquestras nas Américas, Europa e Ásia, Simone Leitão é uma das mais atuantes pianistas brasileiras. A artista é conhecida por sua performance intensa, ampla capacidade técnica, forte direção rítmica e personalidade, mas também vem ganhando notoriedade por divulgar a música clássica brasileira no exterior através do projeto Brasil Classical Series e por idealizar programas culturais e sociais que “popularizam” a música erudita no Brasil, como a Academia Jovem Concertante e a Semanas Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte.

Simone possui D.M.A. (Doctor of Musical Arts) em Piano Performance e História da Música pela Universidade de Miami (Estados Unidos), Mestrado pela NorgesMusikkhögskole (Academia de Música da Noruega, Oslo) e Bacharelado em Música pela Uni-Rio. Sua tese de doutorado foi sobre Momoprecoce para piano e orquestra de Villa-Lobos.

Leitão se apresenta anualmente em importante salas de concertos, entre ela o Carnegie Hall, a Sala São Paulo, e a Sala Cecília Meireles.  Em maio de 2015, retornou ao Carnegie Hall para mais um recital anual e saiu aclamada pela crítica de Nova York por sua performance de Ravel e Villa-Lobos.

DANIEL GUEDES

Considerado um dos mais importantes músicos brasileiros de sua geração, Daniel Guedes vem atuando como violinista, violista, camerista, professor e regente. Carioca, nascido em 1977, formou-se na Manhattan School of Music, onde estudou com Pinchas Zukerman e Patinka Kopec. Vem atuando como solista das principais orquestras brasileiras e em vários países do exterior. Como regente, atuou à frente de orquestras como a  OSB Ópera e Repertório, OSUSP, Sinfônicas de Campinas, Bahia, da UFRJ, Academia Jovem Concertante, entre outras. Membro do Quarteto da Guanabara e professor da UFRJ. Gravou CD com sonatas de Beethoven com Ilan Rechtman, “Impressões Brasileiras” e “Violão e violino” com Mario Ulloa.

PATROCÍNIO VALE

A Vale entende a música como uma expressão humana universal que sensibiliza, emociona, diverte e preenche a vida de significado.   Por isto, elege a música como um dos focos de sua atuação cultural, constituindo um programa capaz de consolidar seu compromisso de reconhecer, integrar e difundir valores humanos.

Publicidade

Veja
Também