Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Acusado de assaltar motorista de aplicativo é morto em confronto com a polícia no Tropical

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Leonardo Nascimento dos Santos, jovem de apenas 23 anos de idade foi morto em casa no Bairro Tropical, em Parauapebas, durante visita da Polícia Militar que o procurava pela acusação de ter envolvimento em ação criminosa.

O caso se deu por volta das 23h40, deste domingo (9), conforme contou Euzimar Nascimento dos Santos, irmã do morto. Ela relatou ao Pebinha de Açúcar que os policiais chegaram no portão de sua casa, e ao bater, anunciaram que era a polícia. Ela afirmou que prontamente abriu e a guarnição militar entrou, indo até ao quarto onde estava seu irmão, Leonardo. “Deixei eles no quarto e fui me sentar na sala e logo ouvi os disparos”, conta Euzimar, negando que o irmão tivesse por hábito portar arma e nem tinha passagem pela polícia; porém, ainda segundo ela, estava sem trabalho.


Foto de documento do acusado morto em confronto com a polícia

 

Na 20ª Seccional de Polícia Civil, o delegado plantonista Jailson Lucena da Silva, contou que tudo iniciou quando um motorista de aplicativo de transportes comunicou à polícia que havia sido assaltado, quando dele foram subtraídos além de dinheiro, vários objetos pessoais. Um dos elementos envolvidos na ação criminosa foi identificado pela vítima, sendo um adolescente, que sendo apreendido, levou a PM até a residência de seu comparsa. “Ao chegar lá a guarnição foi agredida pelo suspeito que usou uma arma de fogo de fabricação caseira com uso de munição calibre 28 e por isso, respondeu com força equivalente, vindo a ceifar a vida do agressor”, conta o delegado a versão trazida até aquela seccional de polícia.

Antes da morte de Leonardo, na mesma ação, foi apreendido um adolescente de 17 anos de idade em sua residência, também no Bairro Tropical, sob a acusação de participar de assalto e roubo; o mesmo que entregou seu comparsa que veio a ser morto pela polícia. De acordo com a mãe do menor, que terá sua identidade preservada, a polícia foi em sua casa e o apreendeu. “Não sei de envolvimento dele no crime; pois, passo o dia trabalhando. Mas, ele é usuário de drogas e sempre afirmava não conseguir se livrar do vício”, conta a mãe.

Publicidade

Veja
Também