Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Acusado de homicídio em Parauapebas, ‘Espartano’ é preso no Goiás

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Morto no último final de semana de outubro de 2019, Carlos Eduardo Ferreira Miranda, de 19 anos de idade, membro da facção criminosa Comando Vermelho (CV), que havia desaparecido dois dias antes, foi jogado no rio Parauapebas, tendo o corpo encontrado por banhistas; conforme foi noticiado AQUI.

Na época, o suspeito não foi encontrado, porém, o caso seguiu em investigação até que se confirmasse a culpa e o mandado de prisão fosse expedido contra o acusado. Trata-se de Isael de Oliveira Ferreira, conhecido no submundo do crime como ‘Espartano’, que em Parauapebas, de acordo com a polícia, exercia “função” de liderança na organização criminosa e era considerado elemento de alta periculosidade, mas, foi tirado de circulação pela Polícia Civil do Estado de Goiás, que realizou sua prisão na manhã de hoje, 15, em cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido pelo juízo da 2ª Vara Criminal de Parauapebas.


De acordo com informações repassadas à nossa equipe de reportagens, a prisão na capital goiana se deu após a realização de levantamentos pela equipe de investigadores da 20ª Seccional Urbana de Parauapebas que deu conhecimento à Polícia Civil daquela localidade sobre o paradeiro de Espartano.

As diligências que terminaram na prisão do criminoso também contaram com a participação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que descartou os indícios que mostravam a presença do procurado naquela cidade.

Espartano deverá ser recambiado para Parauapebas onde deverá ser levado a julgamento. Quanto ao morto, Carlos Eduardo, de acordo com a polícia, seu histórico não é dos melhores, desde sua adolescência, tendo passagens de apreensões por seu envolvimento nos crimes de roubo e de tráfico de drogas; e sua morte, conforme parecer da polícia civil em Parauapebas, se deu em razão de disputas dos criminosos das facções rivais.

Publicidade

Veja
Também