Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Advogados protestam contra o assassinato de colega de profissão em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Advogados de Parauapebas estão neste momento em frente ao Ministério Público em protesto ao assassinato do advogado Dácio Antônio Gonçalves Cunha (foto). A classe pede que o MP e polícia trabalhem juntos para darem celeridade às investigações que possam revelar às causas do assassinato e que o (s) assassino (s) seja (m) preso (s).

Para a OAB subseção Parauapebas, presidida atualmente pelo advogado Jakson de Sousa, o crime foi uma afronta contra a classe e sociedade.


Em pronunciação feita aos advogados, o promotor Guilherme Fontes disse que essa não é a primeira vez que irá trabalhar num caso de assassinato contra um advogado no Pará. “O Ministério Público irá se empenhar para fazer justiça e conseguir colocar atrás das grades o assassino, ou os assassinos do Dácio. Enquanto matarem um advogado, existiram outros advogados para lutarem em prol da causa”, relatou o promotor.
Em conversa por telefone com o HOJE, o delegado Rodrigo Paggi, diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil, relatou que a Polícia Civil já está empenhada na investigação do crime, entretanto, nada será comunicado a imprensa para que possíveis ações da PC não sejam atrapalhadas. Policiais de Belém já estão à caminho de Parauapebas para ajudar na elucidação do crime.

O assassinato
Dácio Antônio foi morto com dois tiros na cabeça na noite desta terça-feira (5) em frente a sua residência no bairro Rio Verde. Dois homens sobre uma motocicleta se aproximaram do advogado, sendo que o garupa apontou uma pistola calibre 380 e disparou duas vezes.
Dácio ainda foi socorrido e levado às pressas ao Hospital Municipal de Parauapebas (HMP), mas não resistiu aos ferimentos.

Reportagem e foto: Vinicios Nogueira

Publicidade

Veja
Também