Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Agente de trânsito do Detran é agredido e ameaçado de morte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Depois de abordarem um piloto de moto que transitava no Bairro da Paz sem capacete, descarga tipo cadron (escapamento barulhento), sem habilitação e documento da moto atrasado há quatro anos, os agentes de trânsito Tarcisio e Samaritano, do Detran, foram agredidos e ameaçados de morte pelo motoqueiro, identificado por Eduardo da Silva, 19 anos de idade.
O incidente ocorreu por volta das 10 horas da manhã desta sexta-feira (27) na Rua São Francisco, Bairro da Paz, em Parauapebas.

Em declarações prestadas à reportagem, o agente Samaritano explicou que após apreender a motocicleta, tirar a chave de ignição do contato e aguardar a chegada do carro-guincho para recolher o veículo ao pátio do Detran, Eduardo da Silva aproveitou um descuido dos agentes, apoderou-se de uma chave reserva e se evadiu do local montado na moto, disparando “tiros” pela descarga do veículo pela Rua Marabá.
Minutos depois, ainda segundo Samaritano, Eduardo da Silva retornou ao local, sem a moto, e começou a tirar satisfação com os agentes de trânsito do Detran, exigindo a documentação do veículo e a carteira de identidade.


“O elemento empurrou e disparou socos contra o companheiro Tarcisio, ameaçando que se ele não entregasse os documentos ia acontecer o mesmo que aconteceu recentemente com um agente de trânsito do DMTT (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte), que foi assassinado quando executava tarefa semelhante na Estrada Faruk Salmen”, declarou Samaritano, adicionando que minutos depois o valentão foi detido e levado à delegacia por investigadores da Polícia Civil, onde se encontra preso à disposição da Justiça.
Procurado pela reportagem, Eduardo da Silva informou que a moto estava com o licenciamento atrasado há “apenas” três anos, que já havia dado entrada no Detran para tirar a Carteira Nacional de Habilitação e que não agrediu fisicamente o agente de trânsito. “Eles falaram alto comigo e eu respondi na mesma altura”, disse o acusado.

Reportagem: Vela Preta / Waldyr Silva / Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também