Publicidade

Altamira arrecadou R$ 111,7 milhões em impostos com Belo Monte

Altamira é uma das cidades que mais se beneficiaram com os impostos gerados pela construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, na região do Xingu, no Pará. Do total de R$ 885,9 milhões pagos, entre 2011 e abril de 2016, R$ 111,7 milhões entraram nos cofres do município. Os tributos foram recolhidos pela Norte Energia, responsável pelo empreendimento, entre 2011 e 2016.

Altamira é o principal município da Transamazônica e, além dos tributos municipais pagos pela Norte Energia, recebeu também parte dos impostos estaduais e federais recolhidos pela Norte Energia no mesmo período, repassados pela Fazenda Estadual e pela União. Além das obrigações fiscais, a empresa também investiu em Altamira com as obras do Projeto Básico Ambiental (PBA), cujo total para a região de Belo Monte chega a R$ 4,2 bilhões.


Dentre as principais obras e ações do PBA no município, estão cinco novos bairros construídos, o Hospital Geral de Altamira, sete das 30 unidades básicas de Saúde, as redes de abastecimento de água potável e de esgotamento sanitário, além das oito pontes e duas passarelas, do Parque Municipal Altamira, seis atracadouros e das obras do Centro Integrado de Pesca Artesanal.

No ano de instalação dos canteiros de obras de Belo Monte, em 2011, a Norte Energia pagou aproximadamente R$ 1,058 milhão para o município. Em 2012, os valores chegaram a R$ R$ 7,5 milhões e, em 2013, R$ 12,5 milhões. No ano seguinte, a empresa recolheu R$ 48 milhões e, em 2015, R$ 34,4 milhões. Já nos quatro primeiros meses de 2016, foram R$ cerca de R$ 5 milhões.

Para os cinco municípios da Área de Influência Direta e sete municípios da Área de Influência Indireta da hidrelétrica, foram pagos R$ 564,3 milhões. A Norte Energia recolheu ainda R$ 149 milhões em impostos estaduais e R$ 172,1 milhões em várias contribuições e tributos federais, como Imposto de Renda, PIS, COFINS, etc.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu