Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Alto número de caramujos africanos preocupa moradores em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Maria José Tavares, que reside no Bairro Rio Verde, entrou em contato com a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar para fazer um alerta sobre o grande número de caramujos africanos que está presente em vários bairros de Parauapebas.

“É preciso que nossas autoridades do setor de saúde possam estar atentas, afinal, os caramujos africanos são perigosos e podem até mesmo causar a meningite”, alertou Maria José.


Sobre a doença

A forma de meningite através de caramujos africanos que tem se espalhado pelo Brasil foi descoberta pela FIOCRUZ – Fundação Oswaldo Cruz. O primeiro caso identificado e relatado no país foi em 2006 e desde então, foram confirmado vários casos de infecção espalhados por vários estados. Essa meningite é chamada de eosinofílica ou angiostrogíliase cerebral, é transmitida principalmente pelo caramujo africano e a infecção é causada por um verme chamado Angiostrongylus cantonensis.

No Brasil, a disseminação do parasito é devido ao grande número do caramujo gigante africano que é considerado uma praga, assim como os ratos, o que se sabe é que ambas fazem parte do ciclo natural do verme. As formas adultas do verme são encontradas nos roedores, onde se reproduzem e garantem que suas larvas são eliminadas pelas fezes desses animais e só assim as lavras são ingeridas pelos caramujos. Nos moluscos elas crescem e amadurece, tornando capazes de infectar animais vertebrados. O ciclo geralmente se acaba quando os ratos comem os moluscos infectados, porém o ser humano pode ser infectado se ingerir o caramujo ou o muco (baba) liberado por eles contendo as larvas do parasito.

Os pesquisadores destacam que o verme infecta diversos tipos de moluscos por que se alimentam de diversos tipos de plantas, desde as ornamentais, passando por frutas e verduras. E também são encontrados em áreas urbanas e rurais, por ficarem muito próximo as pessoas a transmissão torna-se fácil.

Secretaria de Saúde ciente

Em conversa com a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Francisco Cordeiro, afirmou que sua equipe está ciente do aumento do número de caramujos africanos em Parauapebas, principalmente nos bairros Rio Verde e Da Paz e que estudos de prevenções serão feitos para que os populares não correm risco de contaminação por qualquer tipo de doenças.

Publicidade

Veja
Também