Ampliação da prática esportiva e de tratamento clínico e terapêutico é requisitada pela vereadora Eliene Soares

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Eliene Soares | Vereadora

Na sessão ordinária desta terça-feira (15), a vereadora Eliene Soares (MDB) apresentou duas indicações, requisitando ao Poder Executivo Municipal providências para o bem-estar da comunidade.

Atenta às necessidades dos profissionais da educação, a legisladora pediu ao prefeito municipal, Darci Lermen, que estude a possibilidade de implantar um Centro de Reabilitação da Saúde e do Bem-Estar com oferta de serviços policlínicos aos profissionais do magistério municipal.


O pedido foi oficializado na Indicação nº 418/2021, onde a parlamentar contou que a rede municipal de ensino de Parauapebas tem três mil profissionais diretos, metade deles professores. Porém, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) computa o maior número de trabalhadores afastados por problemas de saúde.

Eliene revelou que em Parauapebas o total de professores afastados por saúde ou em desvio de função por não conseguir cumprir a jornada da sala de aula chega a 200 profissionais.

Os problemas de saúde que mais levam os professores ao afastamento são, em média, estresse (26%), alergia (15,3%), gastrite (13,2%), depressão (9,3%), pressão alta (9,1%), lesão por esforço repetitivo (7,2%), diabetes (4,2%) e outros fatores (14,6%).

Devido ao elevado número de dias de afastamentos, 60% dos quais motivados por doenças — o que implica prejuízo financeiro aos cofres públicos, bem como prejuízo para a aprendizagem dos estudantes —, Eliene Soares solicitou ao governo municipal que estude a possibilidade de implantar um Centro de Reabilitação da Saúde e do Bem-Estar com oferta de serviços policlínicos aos profissionais do magistério municipal, a fim de implementar ações preventivas e regenerativas com foco na qualidade de vida dos profissionais da educação.

A vereadora Eliene ainda sugeriu, para implantação do pedido, que seja aproveitado o know-how da atual equipe do Departamento de Valorização dos Servidores da Semed (Devas), dando-lhe status de coordenadoria para execução dessa política pública, garantindo orçamento exclusivo ao departamento para que possa se estruturar conforme a demanda, ampliar equipe e portfólio de atendimento com vistas a tocar ações terapêuticas, de saúde e bem-estar focadas nos profissionais da educação.

Em seguida, a vereadora Eliene Soares apresentou ao plenário, em conjunto com o vereador Francisco Eloecio, a Indicação nº 419/2021, requisitando a ampliação da oferta de serviços de esporte e lazer, sob a orientação de profissionais habilitados, com vistas a alcançar o maior número possível de cidadãos interessados.

Os vereadores mostraram dados que comprovam que atualmente Parauapebas tem 15 mil frequentadores de academias. Os praticantes de atividades físicas, no total, chegam a 55 mil, contando-se ciclistas, praticantes de caminhadas, peladeiros, entre outros. Esses parauapebenses, segundo definições de órgãos de saúde, são considerados indivíduos fisicamente ativos no lazer, seja por realizarem atividades “moderadas” (por mais de 150 minutos na semana, como caminhada, pilates, hidroginástica, dança) ou “vigorosas” (por ao menos 75 minutos, como corrida, musculação, futebol, aeróbica).

Mas, segundo contou os parlamentares, nem todo mundo que não pratica atividade física está de fora das estatísticas por falta de tempo. “Muitos não fazem atividades físicas porque não têm condições de pagar academia ou um personal trainer. Neste ponto entra o poder público, para suprir a demanda dos órfãos de atividade física com políticas de fortalecimento das ações e práticas estratégicas para levar os serviços de esporte e lazer a mais pessoas em nosso município”, destacou a vereadora Eliene Soares.

Os parlamentares ainda asseguraram que não faltam recursos para investimentos, pois no orçamento deste ano constam R$ 3 milhões 793 mil para investimento em projetos de “esporte, lazer, saúde e qualidade de vida” e outros R$ 2 milhões 742 mil para projetos de “esporte educacional e comunitário”. Assim, ao todo, são R$ 6 milhões 535 mil apenas com esses dois projetos dentro do orçamento da Secretaria de Esporte e Lazer (Semel).

Eliene Soares e Francisco Eloecio pediram à prefeitura que construa no ginásio poliesportivo do Bairro Beira Rio piscinas para realização de hidroginástica pela população que não possa fazer atividades de impacto, levando em conta o alto número de munícipes que precisam dessa modalidade e não podem pagar. Já que a hidroginástica é indicada para pessoas de todas as idades, sendo ótima para pessoas com deficiência, grávidas e idosos, e seus benefícios incluem melhoria da circulação, da respiração e do equilíbrio, fortalecimento muscular, de ossos e articulações, perda de peso etc.

Os legisladores solicitaram também a ampliação da oferta e o incentivo à prática de esportes de combate (como boxe, muay thai, kickboxing, caratê, judô, jiu-jitsu), que têm alta procura por adolescentes e jovens. Além de proporcionar benefícios para a saúde, o esporte promove o resgate de jovens das drogas e é capaz de engajar a juventude em projetos sociais.

Na intenção de retirar mais de 100 mil cidadãos da vida sedentária e garantir atendimento multiprofissional e especializado aos profissionais de ensino, os vereadores aprovaram as indicações nºs 418 e 419/2021.

Com o parecer favorável da Câmara, as proposições serão enviadas à prefeitura, que deverá analisar a viabilidade financeira para implementar os pedidos.

veja também