Após matar esposa, homem queima o corpo e coloca os restos mortais em saco de lixo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Miguel Bento Fraga Filho, foi preso pela polícia na noite de segunda-feira, 6, por ser suspeito de ter assassinado a própria esposa, Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos. Depois de matar, Miguel teria queimado e escondido o corpo em um saco de lixo no quintal da própria fazenda. O caso ocorreu em Porangatu, em Goiás.

Desaparecida desde o dia 11 de agosto, após ter sido agredida pelo marido, em Porangatu, também no norte goiano, onde o casal morava. Segundo relatos da irmã da vítima, Vanessa que tentou entrar em contato com ela diversas vezes, por ligação e mensagens, mas sem nenhum retorno. No dia 16, a família decidiu procurar a polícia e registrar um boletim de ocorrência. “Eu liguei e ela não atendeu. Daí, deixei uma mensagem dizendo ‘oi, cadê você?’. Como ela não respondia e não atendia, eu fui até a casa dela com meu irmão e acionei polícia. Os vizinhos me disseram que ouviram gritos dela pedindo por socorro na quinta-feira [12 de agosto]”, contou a irmã.


No mesmo dia, a polícia foi até a casa de Miguel Bento e encontrou arma e munição. Ele foi preso, mas pagou fiança e deixou a delegacia, antes de ter a prisão preventiva autorizada pela Justiça. Desde então, estava foragido e vinha sendo procurado por feminicídio. Em 27 de agosto, após várias buscas, o corpo de Vanessa foi encontrado na fazenda do marido, que fica em Novo Planalto, no noroeste de Goiás. Os restos mortais foram colocados em um saco de lixo no quintal da propriedade.

“Ele queimou ela e a colocou em dois sacos de lixo. Na porta da fazenda mesmo, no terreiro. A gente até foi lá antes, a polícia também. Vimos esse saco lá, mas nem imaginamos que se tratava do corpo dela”, contou a irmã da vítima.

Vanessa e Miguel estavam juntos há 15 anos e viviam um relacionamento conturbado. Há um ano, segundo a irmã, eles dormiam em quartos separados. Ela vendia celulares e trabalhava de casa, pois Miguel não a deixava trabalhar fora por ciúmes. Após buscas, a polícia encontrou o acusado, em São Miguel do Araguaia. Na abordagem, ele confessou o crime, foi preso e apresentado na delegacia de Porangatu.

veja também