Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Após pressão de ambulantes e de vereadores, desocupação na Praça dos Metais é adiada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O motivo das manifestações, que chegaram até a Câmara Municipal de Vereadores (CMP), foi o fato de que a prefeitura pretendia remover os feirantes do ramo de confecção e alimentos crus para tendas montadas ao lado do CAP, denominando de “Espaço confinado”, local que, segundo os feirantes, não tem acesso de clientes e nem contempla estrutura adequada.

Depois de muitos impasses foi determinado para que os feirantes deixassem o local no dia 13, quinta-feira, mas devido a mobilização de vereadores e a associação dos feirantes, o caso ganhou força na mídia que acionou o recém criado GGIM (Gabinete de Gestão Integrada Municipal) composto pelo MP, Polícias Civil e Militar, Secretaria Municipal de Segurança Pública e o governo municipal que compareceu ao local mudando os rumos e a data da desocupação.


A área foi devidamente apresentada aos feirantes
A área foi devidamente apresentada aos feirantes

O Secretário Municipal de Urbanismo, Judson Sousa, esteve no local acompanhado pelo Juiz de Direito, Líbio Moura, vereadores e a parte interessada que são os feirantes. No ato Judson mostrou aos feirantes a área proposta para recebe-los explicando estar aberto à negociação. “Não é de interesse deste governo usar a força para a remoção. A decisão que foi tomada pelo prefeito foi a seguinte: suspender temporariamente esta ação”, disse Judson, explicando que as condições são: após conhecer a área proposta e ouvir dos feirantes as reivindicações e adequações necessária exigidas; depois disso uma comissão deverá sentar com o prefeito e em fim chegar a um consenso.

Judson detalhou a área que, segundo ele, tem 6.208 metros quadrados, toda pavimentada e dividida em 404 espaços medindo 9 metros quadrados cada; mais uma área destinada para praça de alimentação medindo 25X28 metros; tem água e esgoto; banheiros abrigados em contêineres.

Entre as solicitações dos feirantes está a implantação de rota de van para facilitar o acesso dos clientes, porém nada ainda ficou definido sobre a ida para o local. Outra possibilidade é que se remova os feirantes para o Mercado Municipal do bairro Rio Verde, mas de acordo com o parecer do Secretário Municipal de Urbanismo, Judson Souza, trata-se de uma estrutura defasada para a atual realidade do município.

Reportagem: Francesco Costa
Fotos: Bariloche Silva – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também