Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Associação Comercial faz balanço de ações realizadas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Foi um ano de lutas e muitas vitórias”, qualifica Oriovaldo Mateus, presidente da ACIP – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas.
Ele lembra que em 2013 o comércio sofreu muito embaraço devido os calotes e tentativas de algumas empreiteiras da Vale entre elas a D’Service que, ainda segundo ele, graças a intermediação da entidade junto a mineradora foi possível garantir que os prestadores de serviços recebessem o que lhe era de direito.

Foram dois meses de insegurança, mas os fornecedores passaram a ter a certeza de que reaveriam seus créditos com a D’Service, contratada da mineradora Vale.
A dívida foi assumida pela Vale que se propôs a pagar os respectivos valores aos credores que comprovaram com documentação os devidos créditos.
O acordo foi fechado em reunião ocorrida no auditório da ACIP- Associação Comercial Industrial e Serviços de Parauapebas, entre a mineradora e os credores, quando diretores da Vale garantiram que após levantamentos e comprovação dos créditos os valores seriam pagos integralmente.


A ACIP enviou ofício também ao prefeito Valmir Mariano pedindo que este, como conhecedor do problema que afeta o comercio local e regional, especialmente em face dos calotes que rotineira e sistematicamente, empresas de fora, contratadas da Vale, aplicam nos fornecedores locais.
Na opinião do assessor jurídico da ACIP, Manoel Chaves, a esperança de se encontrar uma solução reside no prefeito que poderá chamar a VALE para que contrate empresas que não somente horem com ela como para com os fornecedores locais, adotando medidas protetivas para que nossas empresas não sofram mais calotes.

A sugestão da assessoria jurídica da ACIP é que se adote a Certidão Negativa a ser fornecida pela entidade, o que garantirá o recebimento dos fornecedores de equipamentos e produtos. “Acho injusto que apenas os trabalhadores, devidamente amparados pelos sindicatos, tenham a garantia do recebimento de seus serviços. Uma obra é sustentada por um tripé formado de trabalhadores, produtos e equipamentos e nem um deve ter mais méritos do que o outro”, conclui Manoel Chaves.
Rodada de negócios – Preocupado com os empresários locais a ACIP intermediou uma rodada de negócios promovida pelas empresas Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, ambas contratadas da mineradora vale S. A. para a expansão da EFC – Estrada de Ferro Carajás
Na oportunidade as empresas apresentaram suas necessidades para atendimento das demandas para execução das obras contratadas, enquanto que os associados/fornecedores locais, puderam verificar a possibilidade de atendê-las.

As empresas Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, respectivamente, apresentaram breve detalhamento das obras de cada projeto do projeto Expansão da Estrada de Ferro Carajás e RFSP apresentando uma projeção aproximada das compras com os quantitativos, que devem ser demandados em cada fase de execução das obras.
Já a Vale detalhou sobre a obra e falou de sua exigência às empresas executoras da obra que contratem mão de obra, equipamentos e produtos preferencialmente dos municípios onde a obra impactará.
Valorização do empresário local – Diretores da Vale se reuniu com diretores da ACIP (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas) tendo como objetivo visível tranquilizar os empresários, possíveis fornecedores na obra, que deverão ter, segundo a mineradora, prioridade no fornecimento de produtos e serviços para a construção do Ramal Ferroviário da EFC (Estrada de Ferro Carajás).
Sobre a atração de pessoas, grande parte sem qualificação profissional, Sidney Oliveira, líder de suprimentos da Vale, explicou que para isto está sendo ofertados cursos profissionalizantes e treinamentos para pessoa da comunidade, preparando-as nem só para as obras e serviços da Vale, mas para os empregos indiretos que consequentemente surgem em virtude da construção do ramal ferroviário.

ACIP ofereceu consultoria a empresários – Comprometida com a saúde das empresas em Parauapebas, a ACIP (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas), ofereceu na FAP 2013 (Feira Agropecuária de Parauapebas), consultorias gratuitas às empresas associadas e mediante o pagamento de uma taxa de inscrição para não associados.
A consultoria foi oferecida durante todo o período do evento e contou com a parceria da consultora e contadora, Áldina Chaves da empresa ESTRATÉGIA CONSULTORIA E CONTABILIDADE.
O serviço foi disponibilizado no Stand da entidade no Parque de Exposições Agropecuária Lázaro de Deus Neto, e contou ainda com palestras abordando assuntos de interesse da classe empresarial.
Segundo o presidente da entidade, Oriovaldo Mateus, A iniciativa da ACIP em implantar o serviço no stand se deu por reconhecer que a consultoria é uma opção fundamental, como ferramenta diante dos desafios encontrados dentro de uma empresa em cada uma das suas fases de crescimento.

ACIP busca soluções contra manifestações na Portaria- A ACIP, em parceria com a Prefeitura Municipal de Parauapebas (PMP), realizou uma importante reunião no auditório da Prefeitura, onde na oportunidade representantes da mineradora Vale e vários sindicatos e empresas discutiram sobre as manifestações que ocorrem com frequência na Portaria de Acesso à Carajás.
De acordo com o presidente da ACIP, Oriovaldo Mateus, não dá mais para admitir essas manifestações que prejudicam toda a cidade. “Não estamos aqui questionando o direito das pessoas se manifestarem em busca de suas reivindicações, o que não pode ser mais admitido é que todos saem prejudicados quando se interdita a Portaria de Acesso à Carajás, até porque existem meios de fazer manifestação sem prejudicar a cidade inteira”, enfoca o presidente.

Outra preocupação da ACIP em relação a transtornos na portaria era a demora na subida e descida dos caminhões betoneiras. Para tentar solucionar o problema foram enviados ofícios, via e-mail, tendo como resposta do Departamento de Suprimentos a alteração das janelas e flexibilizado o trânsito de caminhões com cargas perecíveis.
Diretores da ACIP sabatinaram o chefe do executivo – O prefeito de Parauapebas, Valmir Mariano, atendeu o convite da ACIP, – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas-, e se reuniuna sala de reuniões da entidade com diretores da associação.
O encontro contou com a presença de diretores da ACIP, secretários de governo além do presidente do SIPRODUZ, Marcelo Catalão; e representante da Vale.
O presidente da ACIP, Oriovaldo Mateus, disse que o convite para que o prefeito comparecesse na entidade se deu pela preocupação que o grupo empresarial tem com o bom andamento administrativo do município.
“O papel do empresário é contribuir com o crescimento do município nem só gerando emprego e renda, mas também ajudando na administração”, afirmou Oriovaldo Mateus.
Avaliação – Apesar dos avanços e conquistas o presidente da entidade, Oriovaldo Mateus, diz ter muito a fazer pela segurança dos empresários de Parauapebas. E uma das lutas iniciada no ano passado e que, segundo ele, continuará sendo perseguida pela entidade é a Certidão Negativa a ser fornecida pela entidade, o que garantirá o recebimento dos fornecedores de equipamentos e produtos.
“O fornecedor precisa ter segurança de que seus investimentos terão retorno e não serão perdidos deixando o rombo no município”, preocupa-se Oriovaldo.

Publicidade

Veja
Também