Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Atividade de mineração gera R$ 4,2 bilhões em arrecadação e compras locais no Pará nos seis primeiros meses deste ano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Visão noturna da usina na mina de Carajás

A atividade de mineração da Vale no Pará recolheu aos  cofres públicos do Estado e municípios envolvidos, o montante de R$ 1,3 bilhão com a arrecadação de impostos e compensação. Acrescidos a isso, outros R$ 2,9 bilhões foram contratados pela mineradora com empresas locais (matriz e filial) para o fornecimento de serviços e produtos empregados nas minas e usinas da mineradora no Estado. A soma dos valores alcança R$ 4,2 bilhões.

Os dados estão publicados na nova edição do relatório Vale Mais, o balanço periódico da atuação socioambiental e econômica da empresa no Pará. A publicação, lançada nesta segunda-feira (10/8), traz por destaque um resumo da atuação da  Vale, nos últimos seis meses, no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus em conjunto com Governo, municípios e comunidade. A empresa apoiou a construção de hospital de campanha, equipou outras unidades  médicas, doou materiais de limpeza e mais de 5 milhões de equipamentos de proteção individual para as equipes de saúde que atuam em 11 hospitais no sul e sudeste paraense. A ajuda continua,  com a entrega sequenciada de mais de 1.300 equipamentos para 26 hospitais de todo o estado, que estão sendo repassados ao Governo do Pará.


A edição detalha ainda a arrecadação gerada pelas operações da empresa no Estado. Além do valor repassado ao Estado e Municípios (R$ 1,3 bilhão), mais 230 milhões gerados foram repassados para a União e outros, como os municípios cortados pela ferrovia no primeiro semestre. Com isso, o total em arrecadação gerado, considerando apenas CFEM e outros quatro impostos foi de R$ 1,5 bilhão. A soma considera R$ 929,9 milhões em CFEM, R$ 232,4 milhões em ICMS, R$ 234,8 milhões em TFRM (Taxa Estadual pela Atividade mineral), R$ 5,2 milhões em TFRH (Taxa Estadual pelo Uso da Água) e R$ 100,3 milhões de ISS (Imposto sobre Serviços).

Especificamente ao Governo do Pará, foram destinados neste primeiro semestre R$ 611 milhões, que inclui CFEM, ICMS, TFRM e TFRH. Aos municípios paraenses em termos de CFEM e ISS foram gerados R$ 658 milhões. A CFEM é repassada pela Vale à Agência Nacional de Mineração (ANM) que faz o repasse ao Governo Federal,  Estado, municípios mineradores e municípios afetados pela ferrovia.

Em relação à compras locais, do montante de R$ 2,9 bilhões, empresas de Parauapebas (matriz e filial) responderam por R$ 1,1 bilhão em contratos; seguido de Marabá R$ 833 milhões; Canaã dos Carajás, R$ 814 milhões; Ourilândia R$ 146 milhões, Curionópolis R$ 17 milhões e Belém R$ 12 milhões.

Você confere a nova edição do balanço Vale Mais com os dados das principais ações da Vale no Pará durante o primeiro semestre de 2020 no www.vale.com/pa.

Publicidade

Veja
Também