Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Ato da presidência impede velório de jornalista na Câmara de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Velório do corpo do jornalista está sendo realizado no CDC (Foto: Jadson Vasconcelos)

Era normal se ver pessoas distintas serem veladas no auditório ou no plenarinho da Câmara Municipal de Parauapebas; cumprindo assim com o freqüente dito por muitos vereadores de que aquele lugar é “a casa do povo”.
Porém, ceder aquele espaço público, regulamentado pelo Ato da Presidência Nº 028/2015, sofreu modificação este ano, quando o atual presidente daquela Casa de Leis, vereador Luís Alberto Moreira Castilho, através do Ato da Presidência 08/2019, passa a dar outra redação ao Artigo 6º, que, passa a vigorar desde o dia de sua publicação, em nove de abril, da seguinte forma: Realização de atos fúnebres, ficando restritas tais atividades somente para atender casos especiais de detentores ou ex-detentores de cargos eletivos.

A alteração no artigo do Ato da Presidência não teve publicidade, o que pegou de surpresa até mesmo a imprensa local, quando da morte de um dos mais antigos jornalistas de Parauapebas, Luís Bezerra Mendonça, falecido na manhã de hoje (30) vítima de infarto.


Ato da Presidência gerou polêmica em Parauapebas

 

A nova normativa não agradou os profissionais de imprensa que demonstravam desejo de ter o amigo velado naquele espaço público. Em primeiro momento, tendo o entendimento que o espaço só seria cedido para pessoas com cargo público. “O Luís Bezerra era uma pessoa mais pública do que muitos vereadores; tendo ficado conhecido pelo seu trabalho desenvolvido há muitos anos neste município”, retrucou Marcel Nogueira, diretor do Jornal Hoje, dando por sinal de ser público o fato de que a cidade toda esteja lamentando a morte do jornalista.

Já a presidente da Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (AICOP), Cléo Lopes, também se manifestou contrária ao posicionamento do presidente da Câmara Municipal, ao negar o espaço público para o velório de Luís Bezerra. “Houveram esforços de servidores da Câmara, porém, devido à normativa não foi possível. Deixo aqui minha indignação como jornalista, como pessoa e como cidadã, por não poder velar um jornalista tão conhecido na ‘casa do povo’. Porém, o velaremos no CDC que é a ‘casa da cultura’, um espaço onde Luís também foi muito feliz”, explica Cléo Lopes.

Corpo do jornalista está sendo velado no CDC

 

Assim, o corpo do jornalista Luís Bezerra, passou pelos procedimentos de praxe feitos pelo Instituto Médico Legal (IML), sendo liberado para que os amigos e familiares façam as últimas homenagens e despedida em velório que acontece nas dependências do Centro de Desenvolvimento Cultural de Parauapebas (CDC), localizado no Bairro Cidade Nova.

Publicidade

Veja
Também