Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Autoridades estudam medidas para reduzir a violência em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ações de combate e prevenção ao aumento da criminalidade em Parauapebas foram discutidas durante uma reunião realizada na Câmara Municipal nessa quinta-feira, 25, com representantes dos poderes Legislativo, Executivo Municipal e Estadual, Judiciário e de entidades da sociedade civil. Entre os assuntos em pauta estavam: construção da cadeia pública, funcionamento do IML, aumento do número de policiais civis e militares, e a implantação da Guarda Municipal.

Na ocasião o juiz criminal, Líbio Araújo Moura, o Comandante da Polícia Militar, Tenente Coronel Mauro Sérgio da Silva e o consultor do Departamento Municipal de Trânsito – DMTT, Valdemir Oliveira apresentaram as demandas mais urgentes da cidade quanto a segurança para o Secretário Adjunto de Gestão Operacional da Secretária Estadual de Segurança Pública do Pará, Coronel Mário Solano.


A demora para iniciar as obras da cadeia e o não funcionamento do Instituto Médico Legal na cidade foram as questões mais cobradas. Ambas as ações são resultado de parceria entre o Governo Estadual e o Municipal. O secretário informou que a obra do presídio está em processo de licitação. A unidade terá capacidade para cerca de 300 detentos. Quanto ao IML, relatou que a parte do Estado também está encaminhada. No que diz respeito ao aumento da quantidade de policiais, Coronel Solano disse que estão sendo realizados concursos para as polícias militar e civil, e mais homens com certeza vão ser lotados em Parauapebas.

O prefeito informou que com relação a cadeia, a parte do município restringia-se ao lote para que ela fosse construída. O que já foi definido, será numa área conhecida como “Fazendinha”, que fica na Região do Distrito Industrial. Quanto ao IML, a reforma foi concluída. Falta apenas pessoal para trabalhar, uma solicitação que segundo Valmir Mariano só foi feita a prefeitura na sexta-feira passada, mas está sendo providenciada. A respeito da Guarda Municipal afirmou que o projeto de lei que a institui foi enviado para a Câmara.

Coronel Solano parabenizou aos presentes pelo interesse em discutir e buscar soluções para garantir maior segurança a população. “Segurança não é só polícia, o mais importante é a prevenção e não a reação”. Também pediu compreensão e paciência, pois “o Estado precisa cumprir as etapas que determinam as leis” quanto a execução de obras e a realização de concursos. Além disso, a demora ocorre porque “não é apenas Parauapebas, é o Estado inteiro”.

Participaram também o presidente da Câmara Josineto Feitosa, os vereadores Israel Pereira – Miquinha, Bruno Soares e Major da Mactra, além de representantes do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública do Estado, Associação dos moradores do Bairro Rio Verde, Agremiação Junina, Associação Arca da Família Assembleia de Deus, Conselho de Ministros Evangélicos, Masters Gears Training Services, Liga das Quadrilhas, PR, Maçonaria e SEGTRAN.

Reportagem: Nayara Cristina

Publicidade

Veja
Também