Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

“Bandidinho” leva a pior em intervenção policial e vai parar no hospital

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante a manhã desta quinta-feira (24), uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo cabo Dias e soldado Júnior, em rondas ostensivas pelo Bairro da Paz, em Parauapebas, recebeu uma denúncia sobre um cidadão que estaria na Rua São Jorge esquina com a Rua Sol Poente.

De acordo com as informações repassadas aos policiais, havia uma intensa movimentação suspeita em um condomínio. As suspeitas eram que no local era usado para o tráfico de entorpecentes.


Ao se deslocar ao local indicado através da denúncia, a guarnição da Polícia Militar se deparou com um homem vestido de uniforme de mototaxista saindo do condomínio. O suspeito foi parado pelos policiais e feito a revista no mesmo, foi observado que outro homem saiu na porta de um apartamento e retornou rapidamente. Nesse momento, o cabo Dias adentrou na residência, onde se deparou com Edmar Torres Leite, conhecido como “Bandidinho”. Ele estava com um revólver calibre 38 empunhado, porém, antes que o mesmo viesse a disparar contra o militar, foi alvejado com três disparos.

“Bandidinho” já teve passagem pela polícia por homicídio

 

Na oportunidade, foi solicitado apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que conduziu Edmar ao  Hospital Municipal de Parauapebas em estado grave. Já o mototaxista identificado como José Augusto Muniz Tavares, foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil para os procedimentos cabíveis.

Arma que estava com o “Bandidinho”

 

“Bandidinho” é investigado

De acordo o Major Emmett, subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar em Parauapebas, o elemento baleado já estava sob investigação da polícia. Ele é o principal acusado de ter assassinado na noite de ontem (23), Bruno Moraes dos Santos, de 19 anos. “Bandidinho” e a vítima, segundo a polícia, teriam uma rixa.

Ainda de acordo com o subcomandante, “Bandidinho” já tinha passagem pela polícia pela prática de homicídio.

Publicidade

Veja
Também