Bandidos que roubaram joalheira em shopping são presos em Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Estes quatro já tinham roubado em Imperatriz e vieram a Marabá, mas eram monitorados e não sabiam/ Fotos: Divulgação

Na tarde de ontem (25), uma guarnição da 1ª Companhia Independente de Missões Especiais (1ª CIME) prendeu quatro indivíduos que já estavam em Marabá, colocando as manguinhas de fora, depois de terem arrombado uma joalheria em um shopping de Imperatriz (MA).  Tudo começou quando a guarnição da Polícia Militar recebeu informe de que um veículo Palio de cor preta e placas JHR-4525, com quatro indivíduos, circulava pelas ruas cidade. Em rondas pela Rodovia Transamazônica, o veículo foi avistado, a ordem de parada foi realizada, e após busca pessoal foram encontrados três relógios e outros objetos em poder do bando.

Apresentados na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, eles foram identificados como Bruno Kauã Fernandes Montenegro, Willame Geovane Costa Silva (18 anos), Haylan Maik de Sousa Araújo (21) e Renato Campelo Ramos.


Na delegacia um dos acusados, Willame Geovane, confessou para a reportagem do CORREIO que estava de olho na movimentação da relojoaria do shopping e percebeu que não seria difícil abrir a porta e furtar objetos de valor. Mas ele alega que foram furtados apenas 3 relógios e que não abriram o cofre porque não conseguiram.

Objetos roubados foram apreendidos em poder do quarteto, que veio do Maranhão

Também ouvido pelo repórter outro suspeito, Renato Ramos, alegou inicialmente que estava apenas lanchando quando os outros três apareceram. Porém ao ser indagado sobre sua relação com os outros três presos ele acabou confessando que os quatro agiam juntos.

Da mesma forma, o acusado Haykan Maik, disse que estava apenas “observando” a movimentação mas logo em seguida admitiu que servia de olheiro para a atividade criminosa.

De maneira um pouco menos de simulada o quarto suspeito, Bruno Kauã, admitiu que estava dirigindo o carro durante a ação. Mas nenhum dos quatro explicou exatamente o que estavam fazendo em Marabá. É difícil acreditar que os quatro estavam em fuga, tentando se esconder em outro estado a mais de 200 km de distância depois de terem furtado apenas três relógios.

De acordo com o sargento Valdeildo, da 1ª CIME, as primeiras informações levantadas indicam que os quatro elementos estavam sondando possibilidade de cometer roubo em estabelecimentos comerciais instalados no shopping de Marabá. Felizmente para a sociedade (e infelizmente para os criminosos) eram os quatro que já estavam sendo sondados pela polícia do Maranhão, que começou a repassar informações para a polícia do Pará desde cedo.

Ainda segundo o sargento, além dos relógios furtados os acusados também furtaram aparelhos celulares e foi justamente por conta desses telefones que o bando acabou sendo rastreado e preso em Marabá, quando estavam na altura do Km 6 (Nova Marabá).

Publicidade

veja também