Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Barragens do Complexo de Carajás ocupam uma área de 1.971 estádios de futebol

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após o acidente na Barragem 1 em Brumadinho- MG, a população de Parauapebas se questiona sobre o risco que sofre e se há barragens no Complexo de Carajás.

Pois bem, existem quatro barragens em operação no Complexo Minerador de Ferro Carajás, conforme características descritas a seguir e mostradas. Essas barragens ocupam uma área com cerca de 1.400 ha.


Com base na maioria dos estádios do futebol brasileiro que ocupam cerca de 7.100 m2, a exemplo do Maracanã, e que cada 1 ha = 10000 m2, a área das barragens que ocupam o complexo minerador de Carajás ocupam uma área do mesmo tamanho de 1.971 (um mil novecentos e setenta e um) estádios de futebol.

Barragem do Gelado.

Localizada no igarapé Gelado, afluente do rio Itacaiúnas, operando como reservatório de uso múltiplo: disposição de rejeitos provenientes da usina de beneficiamento; contenção de sedimentos gerados na área da mina N4E e pilhas de estéril construídas na bacia de contribuição; regularização das vazões afluentes para captação de água para o beneficiamento. Para a garantia de estanqueidade do reservatório da barragem do Gelado, foi concluído em 2009 o dique Sela 6, que foi construído e operado com as mesmas exigências técnicas que a barragem do gelado.

Outras duas selas topográficas (7 e 8) fazem parte do conjunto dos barramentos que formam o reservatório da barragem do Gelado.

A Barragem do Gelado foi outorgada pela Agência Nacional de Águas – ANA em 14/04/2008, através da Resolução nº 172/2008, pelo prazo de 20 anos. O volume máximo de acumulação de água no reservatório é de 90.000.000 m3.

A vazão média de captação na Barragem do Gelado é de 2.390 m3/h ou 664 L/s, 24 horas todos os dias do ano, perfazendo um volume anual médio captado de 20.936.400 m3.

Barragem do Geladinho

Localizada à leste da Barragem do Gelado, no igarapé do Geladinho, operando com funções de contenção de sedimentos depositados ao longo do talvegue do igarapé Geladinho e de disposição de descargas provenientes da usina de beneficiamento.

A Barragem do Geladinho foi outorgada pela Agência Nacional de Águas – ANA, em 14/04/2008, através da Resolução nº 172/2008, pelo prazo de 20 anos. O volume máximo de acumulação de água no reservatório é de 9.000.000 de m3.

Barragem de Estéril Sul

Localizada a jusante dos talvegues das pilhas Sul IV (existente) e Sul III (projetada), no igarapé Jacaré, operando em múltiplo uso de contenção de finos e sedimentos e regularização de vazões para captação de água a ser utilizada no beneficiamento de minério.

A Barragem do Estéril Sul foi outorgada pela Agência Nacional de Águas – ANA em 14/04/2008, através da Resolução nº 172/2008, pelo prazo de 20 anos. O volume máximo de acumulação de água no reservatório é de 1.748.200 m3.

A vazão máxima de captação na Barragem de Estéril Sul é de 384 m3/h ou 106,67 L/s, em qualquer ponto do reservatório, 24 horas todos os dias do ano, perfazendo um volume anual captado de 3.363.840 m3, devendo garantir uma vazão remanescente mínima de 6,9 L/s (25 m3/h).

Barragens da Pêra – Montante e Jusante

Localizadas no igarapé Geladinho. A barragem se destina prioritariamente, ao fornecimento de água para a Usina de Beneficiamento de Minério de Ferro. Além do maciço principal da barragem foi construído um dique intermediário (Barragem da Pêra Montante) para a contenção de sedimentos advindos de pilhas de estéril das minas N4 e N5.

A Barragem da Pêra foi outorgada pela Agência Nacional de Águas – ANA em 14/04/2008, através da Resolução nº 172/2008, pelo prazo de 20 anos. O volume máximo de acumulação no reservatório é de 4.930.000 m3. No dique da Pêra, o volume máximo de acumulação no reservatório é de 750.000 m3.

A vazão média de captação na Barragem da Pêra é de 500 m3/h ou 138,9 L/s, 24 horas todos os dias do ano, perfazendo um volume anual médio captado de 4.380.

As barragens constituem um controle intrínseco da qualidade ambiental, isto é, já incorporado à própria operação do empreendimento. Nas minas de ferro no complexo Carajás , esses barramentos ora compreendem estruturas específicas para a contenção de sedimentos de pilhas de estéril e outras áreas interferidas pelo empreendimento; ora conciliam a função descrita com outras, tais como disposição de rejeitos provenientes do beneficiamento do minério e/ou recirculação de água para a planta industrial.

Além dessas estruturas, existem outros pequenos diques específicos para contenção de sedimentos que configuram maciços de enrocamento os quais permitem a percolação da água, mas com a propriedade de reter finos, localizando-se imediatamente a jusante dos depósitos de estéril e implantado no fundo de talvegues. Para que seja mantida a capacidade de retenção de sedimentos prevista para essas estruturas, o material retido nos reservatórios deve ser objeto de remoção periódica, como é o caso da operação em curso na barragem do Geladinho.

Publicidade

Veja
Também