Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Beneficiadora de couro planeja instalar duas indústrias no Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em um cenário de crise econômica nacional, o Pará continua atraindo grandes investidores em diversos segmentos. Nesta segunda-feira (30), o governador Simão Jatene recebeu o presidente da Coming Indústria e Comércio de Couros Ltda., Emílio Carlos Bittar, para uma reunião no Palácio do Governo, em Belém. A empresa, que opera no ramo de curtimento, processamento e exportação de couros, pretende se instalar no Pará com duas frentes de processamento de subprodutos de origem animal.

O governador destacou o expressivo rebanho do Estado, que soma mais de 20 milhões de cabeças, e o couro de qualidade, pontos também compartilhados pelo empresário. “Já pensamos no Pará há muito anos, pois a matéria-prima daqui é muito boa, assim como o clima, entre outros aspectos. Hoje produzimos em território paraense apenas por meio de uma terceirizada, informou. “O futuro do Brasil está no Norte e nós estamos aqui também por isso”, argumentou, referendando a estabilidade do mercado regional e a solidez de investimentos.


A Coming possui sede em Trindade (GO) e trabalha com a produção de couros nos estágios wet blue, semi-acabado, raspas e acabados. O couro é destinado às indústrias de calçados, artefatos, estofamentos mobiliares e automotivos. A empresa se destaca no cenário mundial como uma das mais conceituadas indústrias no ramo de curtimento, processamento e exportação de couros. Também possui plantas industriais na Bahia, Espírito Santo e pequenos pontos de coleta e processamento em outros estados.

“Trabalhamos com subproduto animal: o couro, vísceras, ossos e sangue. Aquela matéria prima que poderia ser um problema para o meio ambiente é transformada em produtos nobres que são a base para a fabricação de rações, sabões e biodiesel. Também atuamos na área do subproduto do frango e do peixe, e sabemos que o Pará tem uma vocação boa nessas duas cadeias”, destacou o empresário Emílio Bittar.

A empresa planeja instalar duas fábricas no município de Santo Antônio do Tauá, onde serão processados subprodutos de frango e gado, além do couro bovino. “Com as duas empresas teremos condições de gerar 400 empregos diretos no início das atividades, antes da verticalização que pretendemos fazer”, finalizou Emílio Bittar.

O encontro também contou com a participação do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e de representantes das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e da Fazenda (Sefa).

Reportagem: Lidiane Sousa

Publicidade

Veja
Também