Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Cadela policial que atua no combate ao tráfico de drogas em Parauapebas recebe ameaça de morte

Raika vem sendo uma "pedra no sapato" de vários traficantes

Parece mentira, porém, é a mais pura realidade. A cadelinha Raika, da raça pastor alemão, que auxilia nas ações policiais do 23º Batalhão de Polícia Militar de Parauapebas está recebendo ameaça de morte por parte de integrantes de facções criminosas e tendo sua segurança reforçada.

A cadela policial é especialista em encontrar drogas que na maioria das vezes são bem escondidas por criminosos, e graças a sua habilidade, ela consegue farejar e informar aos policiais onde os produtos ilícitos estão.

Em conversa com o tenente coronel Gledson Melo, comandante do 23º BPM, ele afirmou ao Pebinha de Açúcar que a cadela Raika vem sendo um instrumento poderoso no auxílio de combate ao tráfico de drogas nas operações da Polícia Militar. “Tivemos ocorrências e ela conseguiu farejar e encontrar vários tipos de droga, inclusive em blitz entre os municípios de Parauapebas e Curionópolis, ocasionando a apreensão de vários quilos de entorpecentes e consequentemente na prisão de traficantes. É uma nova ferramenta que temos e que está surtindo efeito. Os bandidos quando são dedurados pela cadela não gostam e identificamos comentários em grupos sobre a cadela que estava farejando e encontrando drogas e isso realmente está assustando os traficantes, e por esse motivo, estamos tendo um cuidado maior com essa nova policial”, relatou Gledson, afirmando que Raika foi adquirida fora do estado do Pará e é treinada para auxiliar os policiais.

Raika teve sua segurança reforçada após ameaças

 

De acordo com o comandante, através das operações da Polícia Militar, o mundo do crime vem colecionando prejuízos. “Sempre falo para meus policiais que todas as vezes que agimos, apreendemos drogas e prendemos traficantes, existe um prejuízo grande. Vamos continuar fazendo nossa parte no combate ao tráfico”, finalizou.

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário