CEO do Portal Pebinha de Açúcar retrata história e comemora mais de 650 mil seguidores no Facebook

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Bariloche Silva – CEO do Portal Pebinha de Açúcar

Como passarinho empurrado do ninho, pela necessidade, tive que bater asas. Lá de meu conforto, parecia que era fácil e agradável, pois, só o que via era outros pássaros, aparentemente, felizes a voar.
Mas, eu não contava com os perigos, pois, os predadores perseguem exatamente os que demonstram mais segurança. Para poder exibir como troféu, sabe!

Já passando dos 18 anos de idade, “botamos o pé na estrada”. Digo assim, pois, foi a pé mesmo. E, a pluralidade usada na frase é porque, na verdade, nunca estive só nesta caminhada, pois, sempre tinha ali alguém me auxiliando, principalmente, Deus.
Claro que sempre tinham também quem não acreditava ou qualificava que seríamos apenas mais um site que, não demorava muito, desidrataria e ponto final; como aquelas sementes, que caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; ou as que caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram.


Há 14 anos, Bariloche Silva dava início a um projeto que hoje se tornou em um dos mais acessados veículos de comunicação do Pará

 

No entanto, não foi isso que aconteceu com as boas sementes que um dia com amor semeamos.
Mas, não foi uma mera coincidência ou fruto da sorte. Todos as noites dormia pensando em novas formas e fórmulas para fazer aquelas sementes, que já haviam brotado, crescer e frutificar. Acordava cedo para regar e zelar para que nada viesse lhe sugar a força.

Se foi fácil? Claro que não.
Se pensei em desistir? Claro que sim.
Mas, em meu subconsciente cantarolava: “Não cheguei até aqui pra desistir agora”.

Valeu a pena. Ou melhor, valeu a granja toda.
Pois, hoje, 14 anos depois, quando passei um pouco dos 33 anos de idade, já estamos colhendo os frutos daquela pequena semente da qual germinou uma mirrada árvore, que se parecia um tanto com meu porte físico da época (risos).
Coincidência ou não, minha aparência física e o crescimento desta árvore continuam bem semelhantes; e dando frutos que, ao contrário do que muitos pensam, não são apenas o retorno financeiro que garante a subsistência de minha família e de alguns colaboradores. Para nós, o mais importante é a credibilidade conquistada e construída, que vem, de forma clara, através dos mais de 650 mil seguidores em nossa página no Facebook, dos mais de 100 mil seguidores em nosso canal o YouTube e mais de 50 mil seguidores no Instagram, além dos milhares de acessos no Portal Pebinha de Açúcar (www.pebinhadeacucar.com.br) onde estamos escrevendo nossa história, cunhada na história de Parauapebas e também da região.

Se o povo se importa? Claro que se importa.
A gente vê isso visivelmente nos comentários das reportagens que postamos. Que, aliás, alguns chegam a ser mais importantes que o próprio conteúdo (risos).
Além das críticas que sofremos.
Se me importo com elas? Hoje bem menos.
Pois, já entendo que é sinal de que incomodamos, principalmente, aos acomodados. Mas, elas também são setas que, às vezes, indicam onde devemos melhorar ou fazer um ajuste nas velas para navegar para oceanos mais promissores.

 

Nosso reconhecimento é que ainda temos muito o que aprender e um tanto para melhorar. Afinal, com o advento tecnológico, mais que nunca, a mudança é a única coisa permanente.
Nesse mar, o vento sempre muda a direção, por isso, a cada instante precisamos ajustar as velas. Mas, o mais importante em tudo isso é que já sabemos onde queremos chegar, e também sabemos que muitos mares ainda temos a navegar.
Por isso, nosso desejo é que, por mais esse ano, bons ventos cheguem a nos levar para um porto de PROSPERIDADE, HARMONIA e PAZ.

Bariloche Silva – Fundador e diretor do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

veja também