Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Chuva torrencial “faz estragos” em Marabá, três pessoas morreram

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Os bairros mais afetados foram Nova Marabá, onde existe um conjunto de canais, Araguaia e Alzira Mutran, onde passa a ferrovia Carajás, e a periferia do núcleo Cidade Nova.

Entre as vítimas, está um rapaz de 30 anos encontrado próximo a um fio de energia elétrica na Folha 29. Segundo testemunhas, ele estava tentando salvar móveis de dentro de uma residência quando levou uma descarga elétrica. As outras duas mortes foram de uma criança e uma idosa, afogadas dentre das próprias residências.


Os dois hospitais de Marabá também foram afetados pelas águas. No municipal, o atendimento chegou a ser suspenso, mesmo com a constante entrada de pacientes, enquanto no Regional Geraldo Veloso uma enchente coloca em risco equipamentos da UTI

PROTESTOS

Em diversos pontos da cidade, moradores insatisfeitos com a situação interditaram ruas, avenidas e até mesmo a ferrovia Carajás.

Uma reunião de emergência entre a Secretaria de Obras, Defesa Civil e prefeitura foi marcada às pressas para debater medidas e resoluções para o problema. O Corpo de Bombeiros enviou duas equipes em dois pontos distintos da cidade para resgatar idosos e crianças de residências do local com botes salva-vidas.

Segundo o Instituto de Nacional de Metereologia (Inmet), a precipitação de chuva ultrapassou a 150 mm, mais do que o esperado em seis meses para Marabá. A forte chuva é resultado de um sistema de baixa pressão e a convergência de umidade da região Norte, que resultou na formação de grandes áreas de instabilidade.

destaque-311807-679e

Contabilizando os prejuízos

Após enfrentar um domingo (7) de calamidade devido aos alagamentos provocados por uma forte chuva, o município de Marabá, sudeste paraense, começa a se recompor e a contabilizar o prejuízo provocado pelas águas. Na manhã desta segunda-feira (8), quando a maioria das ruas já estavam secas, membros da prefeitura realizaram uma coletiva de imprensa para divulgar as medidas para reverter a situação na cidade.

Entre as principais ações está a compra e distribuição de água potável e alimento para as famílias desabrigadas pela chuva. Segundo a prefeitura, cerca de mil pessoas foram diretamente afetadas pelos alagamentos, mas entre a população, a estimativa é de que cerca de 10 mil pessoas tenham sofrido com a ação das águas.

O prefeito também afirmou viajará ainda hoje para Brasília para participar de uma reunião com membros da Defesa Civil Nacional e do Ministério da Integração para discutir modos de ajudar o município. O governo municipal quer pedir a liberação de recursos para realização de obras no local e uma ação de apoio emergencial na cidade.

No domingo, cerca de 40% das ruas da cidade apresentaram alagamentos e pelo menos três pessoas morreram durante a enxurrada. Até o atendimento médico no hospital municipal chegou a ser interrompido devido ao alagamento.

Reportagem: Chagas Filho / DOL
Fotos: Junior Oliveira / DOL

Publicidade

Veja
Também