Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Cinco razões para doar leite materno

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Conheça mais sobre o assunto em lista organizada pela Fundação Vale e Pastoral da Criança: todos devemos entender mais sobre o assunto e apoiar a mulher doadora

“A redução da mortalidade infantil nos primeiros meses de vida se deve a estratégias como o banco de leite humano, onde, de forma solidária, mães que produzem leite acima da suficiência doam para outros bebês, em especial os recém-nascidos”, explica Lívia Zandonadi, gerente de saúde da Fundação Vale, instituição que desde 2013 mantém convênio com a Pastoral da Criança para o monitoramento periódico da saúde e desenvolvimento de crianças das comunidades de 25 municípios ao longo da Estrada de Ferro Carajás (EFC) e 35 ao longo da Estrada de Ferrado Vitória a Minas (EFVM).
Confira abaixo cinco razões para doar leite materno organizada por especialistas da Fundação Vale e a Pastoral da Criança.
1. O  seu leite pode salvar vidas
Toda doadora é uma verdadeira heroína! O leite materno é o alimento mais completo para os bebês, protegendo-os de infecções, alergias, diarreias e melhorando significativamente sua imunidade.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Unicef, cerca de seis milhões de crianças vem sendo salvas a cada ano por causa do aumento das taxas de amamentação exclusiva.
O leite materno doado a recém-nascidos de baixo peso é muito importante para os pequenos, sendo capaz de ajudar a reverter mesmo os quadros mais graves.
2. Você estimulará sua produção de leite
A produção de leite materno é assim:   quanto mais leite é retirado, mais é produzido.  Ao retirar e separar o leite excedente, você ajudar a garantir uma produção farta também para o seu bebê, tanto durante o período recomendado de amamentação exclusiva (até os seis meses) quando para a amamentação continuada até pelo menos dois anos de idade, como recomendado pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial de Saúde.
3. O volume doado aos bancos não é suficiente
Os bancos de leite precisam sempre de novas doadoras, pois com o volume atual nem todos os bebês que necessitam de leite materno são atendidos na extensão de suas necessidades.
4. Muita gente pode te apoiar
O Brasil conta com uma das maiores redes nacional de Banco de Leite Humano do mundo.  São 210 unidades, nas cinco regiões do pais, havendo 146 postos de coleta.   Procure se informar sobre qual o posto mais próximo a sua casa e entre em contato com ele para receber as orientações.
A maioria dos Bancos de Leite possui meios de transporte para retirar as doações nas casas das voluntárias. Como o leite pode ficar congelado por até 15 dias, é possível juntar uma semana de leite materno e solicitar a retirada no Banco de Leite mais próximo.
Além disso, há grupos em redes sociais sobre amamentação solidária para troca de experiências e palavras de incentivo.
Converse também com sua família sobre sua intenção de doar leite e explique com o apoio e incentivo deles pode fazer diferença para você e, como consequência,  para os bebês que receberão sua doação.
5.    Tirar e armazenar seu leite é mais fácil que parece
O leite deve ser retirado depois que o seu bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias.   O passo-a-passo para retirada do leite materno para doação é simples, basta você seguir as orientações da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, que ajudam a garantir a qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:
1- Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
2- Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
3- Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;
4- Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa.
Não esqueça de preparar o frasco ou saquinho para coletar o leite humano, conforme orientações da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano: http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=360
O site da Pastoral da Criança também tem maiores informações sobre a ordenha:http://www.pastoraldacrianca.org.br/pt/o-bebe-de-4-e-5-meses?showall=&start=1

Publicidade

Veja
Também