Circuito Mineração inicia nova etapa de capacitação para professores da rede pública de ensino de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nesta sexta-feira, 2/3, Vale e Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Parauapebas dão o ponta pé inicial para as ações do novo ciclo do projeto “Circuito Mineração nas Escolas”. Durante uma manhã, professores de História, Geografia e Ciências, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública de ensino, participarão de palestra sobre mineração, no auditório do Auditório do Instituto Federal do Pará (IFPA).

Este ano, o projeto prevê a participação de 27 escolas do município, a realização de quatro formações específicas para professores das disciplinas de História, Geografia e Ciências, visitas dos docentes às operações da Vale em Parauapebas e visitas das turmas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental às áreas operacionais da empresa. Já o encerramento, a exemplo do que foi realizado este ano, contará com exposições itinerantes, apresentando os trabalhos desenvolvidos pelos alunos, em sala de aula, relacionando as temáticas mineração e sustentabilidade.


Sobre o “Circuito Mineração”

A iniciativa da Vale, desenvolvida em parceria com as Secretarias Municipais de Educação de vários municípios do Estado, está proporcionando maior aproximação e conhecimento dos estudantes e docentes da rede pública de ensino sobre a atividade mineral e sua aplicação em objetos que fazem parte do dia a dia das pessoas.

Em Parauapebas, mais de 48 mil alunos foram atendidos pelo projeto entre os anos de 2014 e 2017. O município também foi primeiro na utilização dos kits de geociência. Os conjuntos, compostos por caixa com amostras de fragmento de rochas minerais identificadas e um guia de orientação, permitiram a realização de novas atividades em sala. Os kits de geociências chegaram às escolas da zona urbana, rural e também nas áreas indígenas do município.

O projeto Circuito Mineração também ocorre em Marabá, Bom Jesus do Tocantins, Ourilândia e Tucumã, com outra metodologia, apresentando a mineração em uma exposição itinerante, interativa e descontraída, em escolas da rede pública de ensino.

Publicidade

veja também