Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Círio de Nazaré reúne multidão pelas ruas de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Cinquenta mil devotos participaram do 15° Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Parauapebas, na noite de sábado (26). O número é uma estimativa do Corpo de Bombeiros repassada à reportagem pouco antes da realização da Missa Campal que encerrou a festa católica. Agendada para 18 horas, a romaria partiu da Paróquia São Francisco, no Bairro Rio Verde, com apenas 15 minutos de atraso.

De lá, já ao anoitecer, mas iluminada na berlinda, a imagem seguiu em direção à comunidade Nossa Senhora de Nazaré, no Bairro Parque dos Carajás, rodeada pelos romeiros, muitos na corda e carregando velas acesas, criando belo efeito em contraste com o escuro da noite. Como é tradicional na homenagem à Nossa Senhora, muitos fiéis pagaram promessas durante a procissão. Maria Regiane Nascimento de Souza, de 28 anos, carregava uma casa em miniatura, segundo ela, em agradecimento à construção da moradia que está finalizando junto do marido.


“Conquistei a graça de conseguir uma casa, ela me concedeu, deu certinho de estar terminando no Círio”, comemorou. Ela se mudou para Parauapebas em 2012 e desde então não perde a celebração, afirmando já ter sido agraciada anteriormente. “A primeira graça foi nosso casamento e agora conseguimos a nossa casa, tenho promessas de mais anos”, confessou, adiantando que faria mais uma neste sábado e acreditando que em 2020 poderá dividir a conquista com a reportagem.

Outras pessoas cumprem as promessas ajudando os romeiros que encaram quase sete quilômetros de procissão. No Círio do ano passado a contadora Zana Andreia Barros, de 26 anos, fez uma promessa relacionada à vida profissional. Graça recebida, retornou ao mesmo ponto onde fez o pedido para distribuir água aos demais devotos que participam da caminhada. “Era uma realização profissional e alcancei. Na época não tinha sinal, fiz a promessa e no decorrer do ano foi acontecendo e nesse início do ano havia se realizado”, relata. A distribuição de água, inclusive, é um ritual também tradicional do Círio de Nazaré e, assim como em anos anteriores, diversas pessoas cumpriram a tarefa em vários pontos.

Pelo menos 60 jovens com idades entre 17 e 30 anos, membros do Segue-me ligado à Paróquia São Sebastião, atuaram na distribuição, por exemplo. “Ao longo do Círio fomos convidados pela coordenação e há 11 anos o movimento se encontra e participa”, explica o bancário Rodolfo Leitão, de 34 anos. Conforme ele, o Círio une os devotos em homenagem. “É o servir desses jovens, dedicando o momento deles em prol do outro irmão, que está caminhando nesse ato de fé”, explica.

 

Dividindo o espaço com os distribuidores de água estão os pontos de homenagens à Nazaré, com altares decorados e queimas de fogos ao passar da berlinda.

Maria de Lourdes Damasceno Alves, 57 anos e agente comunitária de saúde, diz ter compromisso anual com o Círio e neste ano auxiliou na decoração de um dos altares montados por uma papelaria da cidade. Devota, se emociona ao falar da Rainha da Amazônia. “Ela não é dona do milagre, mas ela é intercessora, é nossa mãe e merece todo o nosso respeito”. Neste ano, ela ainda preparou geladinhos para distribuir na procissão.

A caminhada finalizou por volta das 20h40, quando foi iniciada missa celebrada pelo padre Ademir Gramelik, atualmente vigário da Catedral de Marabá, Diocese à qual as igrejas católicas de Parauapebas são ligadas. Ele substituiu o bispo Dom Vital Corbelini, que está em viagem à Roma. A celebração foi totalmente voltada à Maria, mãe de Jesus, e terminou com mais uma queima de fogos, às 22h15.

Publicidade

Veja
Também