Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Clima tenso: Jorge Guerreiro desmente conselheiro tutelar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Jorge Guerreiro – Titular da Semas

Na longa coletiva de imprensa ocorrida na última sexta-feira (21), quando, acompanhado de todo seu secretariado, o prefeito Darci Lermen conversou com a imprensa local, mostrando projeções para o próximo ano, o secretário municipal de Assistência Social, Jorge Guerreiro, afirmou, com palavras firmes e claras, que o conselheiro tutelar Neil Armstrong mentiu ao afirmar que os conselheiros tutelares da Criança e do Adolescente não têm condições adequadas para realizar o trabalho a eles incumbido.

A afirmação se deu quando Jorge Guerreiro detalhou a situação da secretaria como boa e que o Conselho Tutelar I e o Conselheiro Tutelar II sempre tiveram todos os provimentos necessários para realizar os trabalhos.


Após as afirmações sobre o caso, abriu-se para que a imprensa fizesse perguntas, e o primeiro a perguntar foi o jornalista Francesco Costa, citando a matéria feita por ele em que Neil Armstrong detalhava a crítica situação em que os conselhos tutelares se encontravam.

“Pretendo escrever uma matéria sobre isso. E quero que o senhor me afirme se Neil mentiu ou se realmente a situação é contrária à que o senhor acaba de detalhar?”, insistiu o jornalista, obtendo como reafirmação do secretário: “Em nenhum momento deixamos de atender os conselhos tutelares. Em todos os momentos cedemos a eles veículos abastecidos para que eles realizassem o trabalho”.

O posicionamento do secretário deixou claro que as afirmações do conselheiro tutelar são inverídicas e que nunca faltou nenhum material, conforme dito por Neil, necessário para o funcionamento do órgão, porém, a situação gera impasse, afinal, pelo que mostrou o conselheiro tutelar, a situação não é bem como o secretário de Assistência Social afirmou.

Neil Armstrong expôs em redes sociais a situação que, segundo ele, se encontrava naquele momento o Conselho Tutelar I e o Conselho Tutelar II, sendo depois procurado pela equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, quando naquela oportunidade foi entrevistado pelo jornalista Francesco Costa e expôs não se tratar de problemas novos, mas, tratados em “banho-maria” pelos governos que não têm dado a devida manutenção para que os órgãos funcionem adequadamente. “Chegou ao extremo que não dá mais para aguentar”, afirmou Neil Armstrong, dando por suficiente para tornar público os problemas.

Neil trabalha no Conselho Tutelar I, o mais antigo, situado no Bairro Rio Verde, onde ele relata que não tem a mínima assistência, faltando material de expediente, manutenção no prédio e até combustível para a única viatura que, aliás, está parada por um simples problema mecânico.

Segundo ainda o conselheiro, ele comunicou, através de ofício ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdcap) e à Secretaria Municipal de Assistência Social, os problemas e listou os itens necessários, como material gráfico, bateria para carro, lâmpadas, manutenção em ar condicionado, computador, nobreak e tonner para impressora.

Outro problema sério enfrentado pelos conselhos é material gráfico. Trata-se de pastas para arquivamento de prontuários de atendimentos, blocos de fichas de atendimento, blocos de notificação convocatória e de denúncias anônimas, todos considerados indispensáveis para o atendimento.

O prédio do Conselho Tutelar I, por ser bastante antigo, necessita de reformas e melhorias, serviços já pedidos, porém, ainda sem resposta por parte do governo. A lista de melhorias é a seguinte: acessibilidade, reforma dos banheiros, troca de piso em todo o prédio, acabamento de reboco (massa corrida) em todo o prédio, pintura predial interna e externa, troca da porta da recepção, revisão dos sistemas hidráulico e elétrico, divisória para a secretaria, ampliação para acomodar a copa e sala de reuniões, reforma do prédio anexo (arquivos), entre outras melhorias.

De acordo com Neil, o atendimento esteve comprometido nos últimos dias por falta de combustível, o que impossibilita a notificação convocatória, tendo sido feita por ligação telefônica. “Precisamos tanto do bloco de notificação quanto do combustível para ir entregar”, explica Neil, contando que, após terem sido expostos em redes sociais os problemas, o secretário Jorge Guerreiro liberou 30 litros de combustível, quantidade que ele mensura não ser suficiente para mais de um dia.

Disparidade nas informações – É grande o desencontro do desenho apresentado pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e dos detalhes contados pelo conselheiro tutelar. “Chegou ao extremo que não dá mais para aguentar”, afirmou Neil Armstrong.

Publicidade

Veja
Também