Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Coluna do Lima Rodrigues – 13 de dezembro de 2018

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Peixe BR participa do processo de regulamentação da criação de Tilápia no Tocantins

Está aprovada a criação de Tilápia em tanques-rede em Tocantins. A Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR) participou desde o início das discussões, em 2016, com o Conselho Estadual do Meio Ambiente do Tocantins (COEMA).


Thiago Tardivo, conselheiro do COEMA e gerente de Pesca da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária, explica que a prioridade sempre foi oferecer garantia segurança jurídica aos empresários que desejam investir em Tocantins. Para isso, as discussões foram longas e contaram com laudos técnicos para comprovar o baixo impacto ao meio ambiente e ao peixes nativos.

“Além do potencial de produção nos reservatórios do estado, ainda contamos com a Ferrovia Norte-Sul para escoar a produção. Os piscicultores têm incentivos fiscais e podem expandir os seus negócios, fortalecendo a atividade e elevando o nível de competitividade de Tocantins”, explica Thiago Tardivo.

PEIXE BR

O presidente da Peixe BR, Francisco Medeiros, e um grupo de empresários da piscicultura reuniram-se com o governador de Tocantins, Mauro Carlesse, no dia 04 de dezembro, para discutir sobre investimentos. No dia seguinte, foi colocada em votação – e aprovada – a pauta sobre a regulamentação do cultivo da tilápia em tanques-rede.

“Somente os lagos da hidrelétrica do Rio Tocantins têm outorga da Agência Nacional de Águas para produção de 200 mil toneladas da espécie, o que significa injeção na produção primária de mais de R$ 1 bilhão por ano”, informa Francisco Medeiros. O presidente da Peixe BR mostrou-se otimista com a decisão do COEMA. “O Conselho e o Governo de Tocantins agiram para atender aos anseios e necessidades dos piscicultores, além de contribuir para o aumento da produção de tilápia no estado – com sustentabilidade”. (Texto Comunicação SP).

Nelore Fest 2018 celebrará destaques da pecuária brasileira e os 150 anos da raça no país

No dia 17 de dezembro, a partir das 19h, no Villa Vérico, em São Paulo, a Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) realizará a 19ª edição da Nelore Fest – O Oscar da Pecuária. O evento anual de celebração da raça Nelore reúne, tradicionalmente, os principais criadores, selecionadores, invernistas e confinadores do país. Representantes das indústrias de insumos e frigoríficos também participam do evento. Lideranças do setor e autoridades completam o seleto público da Nelore Fest.

Confraternização

“A Nelore Fest é o momento de confraternização da cadeia produtiva da carne brasileira. Para os associados da ACNB, é um momento especial, pois é o palco de premiação dos grandes vencedores dos campeonatos anuais da raça. E, neste ano, estaremos também celebrando os 150 anos do Nelore no Brasil”, afirma o dr. Nabih Amim El Aouar, presidente da ACNB.

Serão premiados os melhores criadores, expositores e animais dos Rankings Nacionais e Regionais Nelore e Nelore Mocho e da Copa do Atlântico. Também serão conhecidos os vencedores do Circuito Nelore de Qualidade.

A Nelore Fest reunirá cerca de 300 participantes, possibilitando a oportunidade de fazer contatos e confraternização. Após as premiações e homenagens, haverá show musical com a cantora Carina Duarte.

2018, ano muito movimentado – Neste ano, a ACNB coordenou uma movimentada agenda de atividades em conjunto com as associações regionais conveniadas, sempre com o objetivo de fomentar a raça e valorizar a qualidade da carne Nelore. Uma das principais bandeiras foi Nelore – a Carne do Brasil, enfatizando que grande parcela da carne bovina consumida no país e exportada é produzida a partir da genética Nelore. (Texto Comunicação SP).

SINDAN e Fundação Eliseu Alves, da EMBRAPA, assinam acordo para pré-análise dos processos de registro de produtos veterinários

O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (SINDAN), entidade que reúne cerca de 90 indústrias veterinárias que atuam no Brasil, responsáveis por mais de 95% do segmento no país, assinou com a Fundação Eliseu Alves, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), acordo histórico para pré-análise dos processos de registro de produtos para saúde animal no país.
Pelo acordo, assinado no dia 7 de dezembro, em Campinas (SP), e que tem a chancela da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), os pesquisadores da Embrapa tornam-se responsáveis pela análise inicial dos processos de registro solicitados para, na sequência, enviar para aprovação do Ministério, como está na legislação em vigor.
Assinaram o acordo o Presidente do SINDAN Elcio Inhe e o presidente da Fundação Eliseu Alves (Embrapa) Elisio Contini. O Secretário de Defesa Agropecuária (SDA/MAPA) Luis Eduardo Pacifici Rangel, anunciou o acordo durante inauguração do laboratório de biossegurança do Lanagro São Paulo, em Campinas. (Texto Comunicação SP).

Evento analisará as inovações em nutrição vegetal e também proporcionará oportunidades de negócios setoriais
Consolidado como o maior e mais importante evento da indústria de tecnologia de nutrição vegetal da América Latina, o VIII Abisolo Fórum e Exposição Internacional Tecnologia & Integração será realizado nos dias 10 e 11 de abril de 2019, no Expo Dom Pedro, em Campinas-SP. Promovido a cada dois anos pela Associação Brasileira das Indústria de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo), o encontro representa uma grande oportunidade para que todas as empresas e profissionais envolvidos com o segmento se atualizem sobre as inovações e também reforcem o network com parceiros, fornecedores e clientes.
Por se tratar de um encontro de alto nível em termos acadêmicos, pois dele participarão os maiores especialistas brasileiros e internacionais em nutrição vegetal, o Fórum também possibilitará a divulgação dos principais avanços tecnológicos em termos de produtos e serviços para os diversos públicos do agronegócio. Prova disso é que, em edições anteriores, nada menos que 68% dos participantes eram formados por executivos, técnicos, vendedores e distribuidores das empresas ligadas ao segmento de fertilizantes. Por tudo isso, na edição de 2017 o encontro atraiu a atenção de 500 congressistas, além de 28 empresas expositoras.
Como o evento vem ganhando relevância acadêmica e maior interesse empresarial a cada nova edição, se associar a ele tem uma importância estratégica, sobretudo por estar relacionado com o tema do desenvolvimento de tecnologias focadas numa especialidade em pleno crescimento e de forte apelo ambiental. Além disso, os meios técnicos e empresariais estarão associando seus interesses científicos e mercadológicos a órgãos governamentais, consultorias, academia, parcerias, além de pesquisadores, agricultores, muitos deles líderes em seus campos de atuação. (Mecânica da Comunicação – SP). Outras informações: (11) 3251-4559 ou www.forumabisolo.com

ABCB Senepol lançará DEPS Genômicas da raça em 2019

A raça Senepol dará mais um passo importante para consolidar o uso da genômica na seleção do rebanho nacional. A partir do próximo ano, o Programa de Melhoramento Genético do Senepol (PMGS) lançará as DEPs Genômicas para todas as características que já contam com DEPs (Diferenças Esperadas na Progênie) tradicionais. De acordo com o pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Gilberto Menezes, a novidade será apresentada na edição 2019 do Sumário de Touros Senepol e proporcionará maior acurácia na avaliação genética dos animais. “Neste ano, foram genotipados 3.500 animais, o que nos permitiu gerar informações genômicas sobre duas características relevantes dentro da raça, que são Dupla Musculatura [gene que provoca desenvolvimento anormal da massa muscular do bovino, acarretando problemas como a diminuição no teor de gordura na carne dos animais] e Slick Hair [relacionado à alta resistência da raça ao calor]. Essas informações foram publicadas no Sumário de Touros 2018. Para 2019, mais três mil animais serão genotipados, o que nos dará condições de lançar as primeiras DEPs Genômicas oficiais da raça”, explica o pesquisador, responsável pela coordenação das avaliações genética do Senepol no PMGS/Geneplus/ Embrapa. Todos os exames de genotipagem dos animais estão sendo subsidiados pela Associação Brasileira dos Criadores de Senepol (ABCB Senepol).

A expectativa é que as DEPs Genômicas acelerem o avanço genético que a raça vem tendo desde que chegou ao Brasil, no ano 2000. O presidente da associação, Pedro Crosara, lembra que o País, mesmo neste curto espaço de tempo, tornou-se referência mundial na seleção da raça justamente por inovar em seu sistema de melhoramento genético. “O PMGS é uma plataforma que foi concebida para guiar o criador no processo de escolha dos animais geneticamente superiores do rebanho, integrando todas as fases do sistema de produção da raça. A genômica torna a seleção do rebanho muito mais precisa, evitando gastos com a recria de animais de baixo valor genético, pois pode identificar os melhores exemplares logo após o nascimento”, destaca o presidente. (Grupo Publique – SP).

Luiz Gonzaga

Nesta quinta-feira, 13 de dezembro, se vivo estivesse, o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, estaria completando 106 anos de idade. Ele nasceu numa sexta-feira, 13, na Fazenda Caiçara, no povoado de Araripe, a 12 km de Exu, em Pernambuco. Era filho de Januário José dos Santos Nascimento e de Ana Batista de Jesus Gonzaga do Nascimento, a “Mãe Santana”. Gonzagão morreu no Recife em 2 de agosto de 1989, vítima de parada cardiorrespiratória.
Luiz Gonzaga dispensa apresentação. Era um arista completo e ficou conhecido no Brasil e até no exterior. Seu maior sucesso é Asa Branca, que fez em 1947 em parceria com o seu amigo Humberto Teixeira. Mas ele tem outros inúmeros sucessos com Teixeira; e com outros grandes amigos, Zé Dantas (A Vida do Viajante) e Hervé Cordovil (A Triste Partida), e outros magistrais compositores, que incluem: “Assum Preto”, “Seridó”, “Juazeiro”, “Sabiá”, “Carolina com K”, “O Xote das Meninas” e “Quero Chá”, e tantos outros. Em suas composições gostava de descrever a pobreza, as tristezas e as injustiças sociais do sertão nordestino.
Por ter nascido no dia de Santa Luzia, ganhou o nome de Luiz Gonzaga e deixou seu nome na história da Música Popular Brasileira. Viva Gonzagão.

Publicidade

Veja
Também