Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Coluna do Lima Rodrigues – 21 de fevereiro de 2018

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Esta é a segunda coluna publicada no Pebinha de Açúcar. O nosso foco principal é o agronegócio, mas também poderemos comentar sobre política nacional e regional, economia, meio ambiente e outros temas. A coluna é semanal e é publicada toda quarta-feira.

Diretoria da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil, liderada por Nabih El Aouar, trabalhará pelo fortalecimento da cadeia da carne bovina


Pecuarista há 32 anos e médico cardiologista, Nabih Amin El Aouar é o novo presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) – gestão 2018/2020.

“A nova gestão à frente da ACNB não mudará o que já é feito em prol da raça, mas queremos aprimorar e ampliar os trabalhos. Vamos apoiar o Ranking Nacional, incentivar os Julgamentos a Campo, fortalecer ainda mais o Circuito Boi Verde, trabalhar pela valorização do Programa de Qualidade Nelore Natural, fortalecer a Universidade do Boi e da Carne e fomentar os eventos da entidade, como a Expoinel e a Nelore Fest. Pretendemos avançar em termos de representatividade, contribuindo para dar ao Nelore a relevância que a raça merece na pecuária nacional e chegando à mesa dos brasileiros”, ressalta  Nabih El Aouar.

Nesse sentido – ele diz – a gestão será focada na integração e união dos neloristas de todo o país. “Em nossa gestão à frente da Associação Capixaba dos Criadores de Nelore (ACCN), conseguimos fazer muito pelo Nelore no Espírito Santo, cujo rebanho representa apenas 1% do total nacional. Se conseguimos lá, certamente teremos resultados exponencialmente mais expressivos em âmbito nacional”, explica o novo presidente da ACNB.

Pecuarista há 32 anos e médico cardiologista, Nabih Aman El Aquar é o novo presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB)

 

Expoinel Minas marca o início das principais exposições da raça Nelore em 2018

Primeira grande exposição do Circuito Nelore em 2018, a Expoinel Minas, que começou na segunda-feira (19) e prossegue até  sábado (24) de fevereiro, no Parque de Exposições Fernando Costa, em Uberaba (MG). Trata-se de uma importante seletiva para o ranking nacional da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil.

Com organização da Associação Mineira dos Criadores de Nelore (AMCN) e apoio da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), a Expoinel Minas reunirá cerca de 700 animais (machos e fêmeas) da raça Nelore. Os julgamentos serão comandados por Gilmar Siqueira de Miranda, Murilo Miranda de Melo e Carlos Alberto Marino Filho.

De acordo com Loy Rocha, gerente executivo da Associação Mineira dos Criadores de Nelore, a Expoinel Minas tem vários motivos para atrair a atenção dos pecuaristas mineiros. “Estamos adotando novas regras na exposição, trazendo novidades para a raça Nelore e também com julgamentos das raças Girolando, Gir Leiteiro, Guzerá e Indubrasil. Para o Nelore, aguardamos 700 cabeças de cerca de 90 criatórios das mais diversas localidades do Brasil”, informa Loy.

Primeira grande exposição do Circuito Nelore em 2018, a Expoinel Minas, começou na segunda-feira e prossegue até sábado, dia 24 de fevereiro

 

Piscicultura brasileira cresce 8% em 2017 e atinge 697 mil toneladas e País já é o 4º maior produtor mundial de Tilápia

A Piscicultura brasileira produziu 697 mil toneladas de peixes de cultivo em 2017. Esse resultado é 8% superior ao de 2016 (640.510 t). A informação é da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR) e faz parte do Anuário da Piscicultura Brasileira – edição 2018, que acaba de ser publicado.

A Tilápia é a mais importante espécie de peixes cultivados do Brasil. Segundo levantamento inédito da Associação Brasileira da Piscicultura, a espécie representa 51,7% da Piscicultura nacional, com 357.639 toneladas em 2017.

A segunda posição não é de uma espécie em si, mas de uma categoria de peixes: os nativos. De acordo com a pesquisa da PEIXE BR, liderados pelo Tambaqui os nativos representam 43,7% da produção brasileira: 302.235 toneladas.

Outras espécies, entre as quais destacam-se Carpas e Trutas, representam 4,6% da produção brasileira de peixes de cultivo em 2017, com 31.825 toneladas. A pesquisa da PEIXE BR em todo o Brasil mostra, pela primeira vez, os números da Tilápia no país, comprovando sua viabilidade em termos produtivos e como negócio, já que a espécie está presente nos maiores e mais recentes empreendimentos, sobretudo na região Sul/Sudeste.

“A autorização para produção da Tilápia em estados com grande potencial de desenvolvimento da Piscicultura, como Tocantins e Mato Grosso, também mostra que a participação da espécie na Piscicultura brasileira deve crescer ainda mais no futuro”, complementa Francisco Medeiros, presidente executivo da PEIXE BR.

Brasil, 4º maior Produtor de Tilápia

A produção brasileira de Tilápia foi de 357.639 toneladas em 2017, de acordo com levantamento da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR). Esse resultado coloca o Brasil entre os quatro maiores produtores do mundo, atrás de China, Indonésia e Egito. (Com informações da Texto Comunicação Corporativa – SP).

Boa semana a todos e até quarta-feira com saúde e paz.

Publicidade

Veja
Também