Coluna do Lima Rodrigues – 24 de dezembro de 2021

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, também concedeu entrevista e programa Conexão Rural sobre a FAP Conhecimento

Do campo à mesa

O Conexão Rural foi longe. Foram mais de 6 mil quilômetros, incluindo carro e avião e seis municípios percorridos no Paraná e em Santa Catarina, num total de 1.370 quilômetros de carro. Tudo isto para mostrar a produção de batata, cebola, tomate e maçã no Paraná e até a chegada dos produtos à mesa das pessoas residentes no Pará, especialmente em Parauapebas, Canaã dos Carajás, Xinguara e Redenção, conforme destacamos aqui na coluna na semana passada.


Nossa série de reportagem especial sobre rastreabilidade de alimentos – do campo à mesa tem como objetivo mostrar de onde vem as frutas e verduras consumidas no Pará e como são produzidas.

Na semana passada, mostramos a produção e a colheita de cebola no Paraná e de maçã em Santa Catarina e a chegada desses produtos a Parauapebas.
Hoje, vamos mostrar a colheita de batata e de cebola no Paraná.
O Projeto do Campo à Mesa faz parte das comemorações dos 10 anos do Conexão Rural (18 de dezembro) e tem o patrocínio do Atacadão Macre, onde inteligente é comprar barato.

Batata

A maior parte da batata vendida em Parauapebas, Canaã dos Carajás, Xinguara e Redenção vem do município de Antônio Olinto, que fica ao lado do município de São Mateus, no Paraná.
Lá, acompanhamos a colheita da batata na área de seis hectares arrendada pelo produtor rural Marcelo Paulim, que está na atividade há mais de 20 anos.
A propriedade do Seu Marcelo é uma das que vendem batata para os empresários da região de São Mateus que por sua vez revendem para empresários responsáveis pela distribuição das verduras para o Pará e outros estados, inclusive o Maranhão. Seu Marcelo pega no batente ainda de madrugada e ele mesmo conduz o trator que faz a colheita da batata.
Nesta época de colheita de batata, muitas famílias conseguem ganhar um dinheiro extra a mais, como é o caso da família do seu Lourival, que trabalha no setor há 30 anos.
Cada pessoa consegue encher de quatro a cinco Big-Beg por dia e recebe R$ 40,00 por saco. O Big-Beg comporta em média 500 quilos de batata.

No armazém do empresário Carlos Mazza chegam 250 toneladas de batatas por dia, que vêm de vários municípios da região. A colheita vai até o final de fevereiro ou início de março.
As batatas que chegam do campo no caminhão, são lavadas, selecionadas e passam por um rigoroso processo de limpeza. Depois, são ensacadas e embarcadas nos caminhões para serem enviadas para o Pará e outros estados.

Da produção de batata em Antônio Olinto, fomos para outra cidade do Paraná, Reserva, que é uma das maiores produtoras de tomate do estado.
O produtor Everaldo Bueno, do Sítio Águas Claras, tem 20 mil pés de tomate, que ele produz desde 2006. São 10 mil caixas de 25 quilos cada produzidas a cada safra. São duas safras por ano. Os tomates que ele produz são das variedades Longa Vida e Italiano.

Da propriedade do Seu Everaldo, o tomate é levado para um galpão em Reserva, onde passa por todo um processo de limpeza e seleção; é colocado em caixas e embarcado nos caminhões e levado para o Pará. O responsável por essa logística de transporte de batata, cebola, maçã e tomate do Paraná até ao Pará é o empresário Eder Demari Peterle.

O empresário Eder Demari Peterle é o responsável pelo transporte de frutas e verduras do Paraná para o Pará

Encaixotado e embarcado, o tomate faz uma longa viagem do Paraná (2.500km) até ao Pará em caminhão com câmera fria. Depois, o tomate é levado para as bancadas do Atacadão Macre para a venda final ao consumidor.
O empresário Júnior Boeri, diretor do Atacadão Macre, afirmou que “a preocupação do grupo é com a qualidade dos produtos oriundos do Paraná e vendidos no Pará, por isso fez questão de apoiar o Projeto do Campo à Mesa produzido pelo Conexão Rural”.

FAP Conhecimento

A Feira de Agronegócios Conhecimento (FAP) foi promovida pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Parauapebas (SIPRODUZ), de 15 a 19 de dezembro no Parque de Exposições Lázaro de Deus Viera Neto.

Com o lema “Quanto mais você aprende, melhor você produz” a FAP Conhecimento começou dia 15 dezembro com os cursos oferecidos aos produtores rurais.
Ainda na parte da tarde, houve a abertura oficial com a palestra do ex-ministro da Agricultura, Alysson Paulinelli, indicado ao Prêmio Nobel da Paz 2021. Ele falou sobre “A importância do agronegócio”.
Paulinelli é mineiro, engenheiro agrônomo, professor universitário e protagonista da agricultura e da segurança alimentar mundial. Ele foi um dos fundadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, deputado federal e atualmente é presidente executivo da Abramilho.

Palestras

Houve ainda palestra sobre Modernização de Empreendimentos na Agricultura, com Thabatta Moreira Alves, engenheira de controle e automação, coordenadora do curso de Tecnologia em Automação industrial e membro do Comitê de Empreendedorismo do IFPA. E palestra sobre Manejo Nutricional em Reprodução de Bovinos, com o médico veterinário Jonas José da Silva Neto, convidado da empresa FACHOLI – Sementes e Nutrição. E também sobre Empreendedorismo Rural, com Malu Alves, analista de agronegócio do Sebrae Pará.
Dia 16 foi abordado o tema Uso de redes sociais para pequenos empreendedores, com a participação de alunos do IF mais empreendedor; oficina custos para produzir no campo, com Maria Luzineuza Alves, analista de agronegócio do Sebrae Pará.

Matemática financeira

Dia 17, houve debate sobre Conceitos de matemática financeira para negócios, também com a participação de alunos do Instituto Federal do Pará.
Sábado, dia 18, a produtora rural Marlene Kaiut, de Mato Grosso, falou sobre Mulheres no Agro – História de vida. Ela é formada em administração de empresa, campeã do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios na categoria produtora rural estadual em 2014 e vice-campeã em 2015.

Cursos

Durante a FAP Conhecimento foram realizados cursos sobre vários temas.
O de Inseminação Artificial por Tempo Fixo – IATF – foi coordenado pelo médico veterinário Jonas Lopes Neto. Vários produtores rurais de Parauapebas e região participaram do curso. E no dia seguinte houve aula prática para que os alunos praticassem tudo que aprenderam nas aulas teóricas.

A engenheira agrônoma Núbia Santiago, de Belém, fez oficina sobre piscicultura. E no dia seguinte os alunos aprenderam na prática o que haviam aprendido na teoria.

Empreendedorismo

Houve oficina sobre Empreendedorismo com Diego Almir, do Instituto Federal do Pará.

Cooperativismo e associativismo com José Silva Guimarães
E horticultura com Gildemarques dos Santos.
O curso de embutidos e defumados foi coordenado pela nutróloga em alimentos Fabiele Negrão.
A nutricionista Dinar de Lima Silva deu curso sobre panificação e as alunas colocaram a mão na massa literalmente.
Milena Passos falou sobre os derivados do leite e os alunos aprenderam a fazer doces e iogurtes e os produtos foram oferecidos aos participantes da FAP Conhecimento no último do evento.
A FAP Conhecimento foi encerrada no domingo, dia 19, com a presença de produtores rurais, participantes dos cursos e seus familiares e autoridades, entre as quais o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen e os vereadores
Zacarias Marques e Elias Ferreira, que é do Maranhão.
Houve uma rápida palestra do ex-comandante-geral da Polícia Militar do Estado do Pará, coronel RR, sobre “Segurança no Campo”.

Houve ainda a cerimônia de entrega de prêmios às pessoas que se destacaram em suas áreas da agricultura familiar e do agronegócio no município de Parauapebas, no Pará.
O pecuarista Marcelo Catalão ganhou na categoria Criação de Gado de Corte.

Destaque Criação de Peixe ficou com o vereador Elias Ferreira, o Elias da Construforte.

Destaque Pioneirismo do agronegócio em Parauapebas foi para a pecuarista e empresária Nicaula Silva Ribeiro, que é avó da presidente do Sindicato Rural, Graziele Ribeiro.

Lima Rodrigues e a presidente do Sindicato Rural de Parauapebas, Graziele Ribeiro, organizadora da FAP Conhecimento

 

Na categoria Bubalinocultura quem ganhou foi o advogado e pecuarista Geraldo Pedro, criador de búfalos em Parauapebas.

O produtor rural Alan Catuxo ganhou na categoria criador de suínos.

E dona Perina Pereira ganhou o Prêmio Destaque pela sua produção do café do caroço de açaí.

Diversas outras categorias foram agraciadas com troféus, entre as quais hortas urbanas, hortas comunitárias, pequenos animais e apicultura.
E o Destaque do em prol do agronegócio e da agricultura familiar em 2021 quem ganhou foi o prefeito de Parauapebas, Darci Lermen.

Em seguida, houve a entrega de certificados aos produtores rurais que participaram de diversos cursos, incluindo panificação, derivados do leite, cooperativismo e associativismo e inseminação artificial.
A presidente do Sindicato Rural de Parauapebas, Graziele Ribeiro, agradeceu o apoio de todos e fez uma avaliação positiva da FAP Conhecimento, realizada de 15 a 19 de dezembro.
O evento foi encerrado com um saboroso almoço oferecido aos participantes e convidados, que puderam também degustar os doces e iogurtes produzidos durante a FAP Conhecimento.

Fazenda Mutirão

Foi realizado em Paragominas (PA) dia 14 de dezembro primeiro Leilão Virtual da Fazenda Mutirão & Convidados.
Foram oferecidos 1.300 animais Brangus e Nelore. O evento contou com a presença de autoridades municipais e de produtores rurais da região.
O pecuarista Carlos Eduardo, o Cadu, da Fazenda Mutirão, disse que “o resultado foi bastante positivo e todos os pecuaristas saíram satisfeitos com os negócios realizados”.

Lima Rodrigues e o pecuarista Cadu, da Fazenda Mutirão, de Paragominas

A Coordenação do leilão foi da Leilonorte, que tem no comando o experiente Sebastião. A assessoria foi da Elite Agropecuária. O diretor da empresa, o zootecnista Elton Miranda, atua na área do agronegócio há 22 anos em Paragominas.

Feliz Natal com saúde e paz.

veja também