Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Coluna do Lima Rodrigues – 26 de agosto de 2020

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Lima Rodrigues – Jornalista

Produção sustentável de alimentos na Amazônia e Cerrado

O compromisso de aumentar a produção de alimentos de forma sustentável nos biomas da Amazônia e Cerrado, com respeito aos valores do campo e do produtor rural, leva a instituição não governamental Aliança da Terra a dar um passo decisivo para fazer ainda mais diferença.


Está nascendo a Produzindo Certo, empresa com os mesmos valores e missão da Aliança da Terra, porém com mais possibilidades de ampliar sua presença e contribuir para a produção sustentável.

1.500 propriedades

Em 16 anos de história, a organização já assessorou cerca de 1.500 propriedades rurais espalhadas por 14 estados brasileiros, além de atividades no Paraguai, Colômbia e México. No Brasil, são mais de 5 milhões de hectares monitorados, incluindo análise da situação socioambiental das fazendas, identificação das ações necessárias para que elas possam se adequar aos parâmetros legais e de mercado nessas áreas e assistência técnica na execução das medidas sugeridas.

Aline Locks é CEO da empresa Produzindo Certo

 

“Durante mais de uma década e meia conseguimos fazer muito. Fizemos parcerias importantes com instituições internacionais interessadas em aportar recursos para projetos socioambientais no Brasil. Os recursos escassearam, mas não o nosso desejo de contribuir para fortalecer os valores socioambientais no campo”, assinala a CEO Aline Maldonado Locks.

“Estamos muito motivados a fazer mais em prol da produção responsável, com respeito às pessoas e ao meio ambiente. Como organização não-governamental fomos até o nosso limite. Como empresa, expandem-se as possibilidades de firmar parcerias, desenvolver projetos e aproximar os diversos agentes interessados em contribuir para esse processo”, explica o diretor de Operações Charton Jahn Locks.

Charton Locks é diretor de Operações da Produzindo Certo

 

Fortalecimento das cadeias

O ponto central do trabalho da Produzindo Certo é o fortalecimento das cadeias produtivas, com a correta gestão dos recursos naturais e o respeito aos interesses da sociedade. Nesse sentido, a empresa ajuda na transformação das cadeias, aproximando empresas e produtores com os mesmos objetivos e, sobretudo, qualificando a produção responsável. Com isso, contribui para abrir mercados a produtores em um cenário cada vez mais exigente por parte dos compradores. Tudo isso com transparência dos indicadores socioambientais, com geração de valor para os produtores, empresas e consumidores.

1 milhão de toneladas

O momento é propício para esse avanço da Produzindo Certo por vários motivos. Um deles é o crescente interesse das empresas ligados à cadeia da alimentação pela verificação de origem das matérias-primas utilizadas em seus produtos e rastreabilidade completa da cadeia produtiva.

Unilever e GPA são dois exemplos de corporações parceiras da Produzindo Certo que investem para acompanhar todas as etapas da produção e, assim, atender às solicitações cada vez intensas dos consumidores. A metodologia Produzindo Certo ajudou a identificar fornecedores adequados de soja para a Unilever, que buscava parceiros para produzir em conformidade com padrões internacionais de respeito ao meio ambiente e aos trabalhadores rurais. Em cinco anos, o projeto já envolveu 1 milhão de toneladas e preservou 144 mil hectares.

Profissionais do campo

A parceria com o GPA objetiva a qualificação dos pecuaristas participantes do projeto da raça bovina Rubia Galega, cuja carne é fornecida com exclusividade para o grupo.

“Importante destacar que na ponta das várias cadeias estão os produtores rurais, muitas vezes abandonados, sem informações e com dificuldades de acompanhar as constantes mudanças e exigências legais. Nosso papel é estar ao seu lado, ajudando-os a se adequar e a produzir com responsabilidade social e ambiental”, ressalta Charton Locks.

A Produzindo Certo é composta por profissionais que nasceram no campo e conhecem a realidade da produção. Assim, ao longo de sua trajetória, conquistou o respeito dos produtores rurais. “Este é um dos nossos mais importantes diferenciais. Os produtores nos têm como parceiros. Eles sabem que conhecemos sua visão do negócio. Não estamos aqui para impor, mas para trabalhar em conjunto, inclusive traduzindo para uma linguagem que eles entendam. Os benefícios são de todos”, diz Aline Locks.

Redução na incidência de incêndios

A produção sustentável de alimentos é uma demanda crescente da sociedade. A origem e a preocupação socioambiental são princípios desse processo, que precisa ser transparente e ético. A Produzindo Certo atua em aproximadamente 1% da área dos biomas da Amazônia e Cerrado, mas sua presença faz diferença. Entre outros resultados concretos, a empresa participa da regeneração de 55 mil hectares de áreas degradadas e apoia a produção de 12 milhões de toneladas de grãos e 94,5 mil toneladas de carne por ano. Além disso, pesquisa da UFMG mostra redução de 30% na incidência de incêndios para desmatamento em áreas do Cerrado de atuação da Produzindo Certo.

Mais informações: www.produzindocerto.com.br (Texto Comunicação – SP).

ACNB confirma realização da 49° Expoinel presencial em Vila Velha (ES), em setembro

A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) confirma a realização da principal exposição da raça Nelore do Brasil, a Expoinel. O evento, presencial, ocorrerá de 14 a 20 de setembro, na Fazenda Paraíso, em Vila Velha (ES). A expectativa é reunir cerca de 400 animais Nelore e Nelore Mocho. Promovida pela ACNB e pela Associação Capixaba dos Criadores de Nelore (ACCN), a 49ª Expoinel tem o apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e Fertilizantes Heringer.

A realização do evento seguirá todos os protocolos de segurança recomendados pelas autoridades de saúde. A Fazenda Paraíso, onde ocorrerá a Expoinel, é uma propriedade privada, fora do perímetro urbano. Somente terão acesso ao local os tratadores e apresentadores responsáveis pelos animais, jurado e equipe organizadora – sem presença de público. Todos os participantes ficarão hospedados na própria Fazenda. As refeições também serão feitas no local, e serão adotadas medidas para proteção e segurança dos participantes, como distanciamento social, uso de máscaras, higienização com álcool em gel e produtos de limpeza, medição de temperatura, entre outras.

As avaliações dos animais Nelore e Nelore Mocho ficarão a cargo do jurado Ricardo Gomes de Lima.

Ajustes devido à pandemia

“Tradicionalmente realizada no Parque de Exposições Fernando Costa, em Uberaba (MG), a Expoinel precisou passar por ajustes devido à pandemia da COVID-19. Entendemos que o momento ainda é delicado e por isso realizaremos o evento com todos os procedimentos preventivos. A realização presencial da exposição também reconhece o trabalho dos criadores, que seguem desempenhando papel fundamental na cadeia da produção de carne bovina, e mais do que nunca, precisam do nosso apoio para reconhecer e valorizar esse trabalho”, ressalta Nabih Amin Al Aouar, presidente da ACNB.

A nova data da Expoinel não muda a data base do Ranking Nacional, mantida conforme determinada no início do ano, com o objetivo de não impactar os campeonatos em andamento. A exposição encerrará o ano-calendário 2019/2020 e, somada às demais exposições realizadas antes da interrupção motivada pela pandemia da COVID-19 decretará os grandes campeões da raça no ano. (Texto Comunicação – SP).

Seguro Rural atinge a marca de 1 milhão de apólices contratadas  
O número, alcançado esta semana, considera todas as apólices de seguro rural contratadas desde o início do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural  
Desde o início do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), já foram contabilizadas 1 milhão de apólices contratadas. O PSR tem função estratégica no âmbito do governo federal, sendo um dos pilares da política agrícola brasileira.

Desde 2005, quando o Programa iniciou, a subvenção econômica concedida vem auxiliando milhares de produtores a contratar o seguro, como forma de se precaver contra as perdas financeiras decorrentes de adversidades climáticas.

Com isso, o PSR tem se consolidado como uma importante ferramenta de gestão de riscos agropecuários. Em 2006 foram atendidos 16,4 mil produtores rurais, já para 2020 a expectativa é de que 160 mil tenham acesso ao benefício, ou seja, quase dez vezes mais. Já a área segurada deve passar de 1,8 milhão de hectares para 15 milhões de hectares.

Diante da expansão do Programa, em valores atualizados pelo IPCA, a importância segurada deve crescer de R$ 5,8 bilhões para R$ 43 bilhões. A concessão de subvenção cresceu consideravelmente no período, alcançando R$ 955 milhões em 2020, ante R$ 63,5 milhões em 2006, também em valores atualizados, o maior orçamento registrado até o momento. (Ministério da Agricultura).

Raimundo Rodrigues

 Se vivo estivesse, meu pai, Raimundo Rodrigues, teria completado na terça-feira, dia 25 de agosto, Dia do Soldado, 100 anos. Ele partiu dia 23 de junho de 1984. Deixou muita saudade. Fique em paz com Deus, meu pai.

 

 

 

 

Publicidade

Veja
Também