Single Posts
Confirmados
21.452
Single Posts
Recuperados

10.992
Single Posts
Óbitos
154

 Publicidade

Coluna do Lima Rodrigues – 26 de junho de 2020

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Coluna do Lima Rodrigues - 26 de junho de 2020

O pecuarista Reinaldo Zucatelli tem um enorme carinho pelo rebanho bovino, que rende para a RR Agropecuária, uma das empresas do Grupo, alta qualidade genética

Pecuarista Reinaldo Zucatelli investe em genética de qualidade no Pará

 O Conexão Rural do próximo domingo trará uma entrevista no quadro “Prosa na Varanda” com o empresário e pecuarista Reinaldo Zucatelli, da RR Agropecuária e do Grupo Zucatelli, que tem concessionárias de veículos em Marabá (PA), Imperatriz e em Manaus. Ele veio do Espírito Santo com a família há 47 anos e acreditou no potencial econômico do Pará. Hoje, é proprietário de 15 fazendas no estado e, com o apoio dos filhos, administra todo o conglomerado, incluindo concessionárias de veículos e outras empresas. O grupo gera cerca de 500 empregos diretos e indiretos. O empresário já foi vereador e vice-prefeito em Marabá.


O nosso Prosa na Varanda Especial foi gravado na Fazenda Sororó, a cerca de 50 km de Marabá, e a 20 km da vila do mesmo nome.

Localizada às margens da PA 275, entre Marabá e Eldorado do Carajás, no sudeste do Pará, com seus 7.500 hectares, a Fazenda Sororó se destaca na criação de Nelore, Gir leiteiro e vacas Girolanda e Brahma.

Coluna do Lima Rodrigues - 26 de junho de 2020
Lima Rodrigues e o empresário e pecuarista Reinaldo Zucatelli, na Fazenda Sororó, no município de Marabá (PA), tendo ao fundo a majestosa castanheira, “símbolo” da propriedade

 

A sede da fazenda fica a 6 quilômetros da PA 275. Logo na chegada da área da sede, uma majestosa castanheira na beira de uma bela represa chama a atenção de todos.

Doadoras

Lá conhecemos vacas matrizes (fêmeas doadoras pré-selecionadas) responsáveis por toda a genética de qualidade da RR Agropecuária. O pecuarista trata as vacas com muito carinho e fica bem à vontade no meio delas. Depois, fomos conhecer os bezerros de oito meses que estavam sendo desmamados e que foram produzidos por intermédio do processo de Fertilização In Vitro. A FIV é uma biotécnica utilizada para realizar a fecundação dos oócitos coletados das melhores e bem avaliadas fêmeas doadoras pré-selecionadas com sêmem bovino de alta qualidade genética em um laboratório, que resulta num embrião, posteriormente transferido para uma receptora, ou seja, barriga de aluguel.

O pecuarista Reinaldo Zucatelli tem a assessoria do experiente capataz Edinaldo Maciel, o “Dai”, e do responsável pelo controle de rebanho, João Pedro Novaes.

Eles nos mostraram também os bezerros que estão sendo preparados para virarem tourinhos daqui a dois anos. Estes bezerros, também de oito meses, são frutos do acasalamento de reprodutores ou sêmem de touros com boa avaliação, feita através de um sistema da ABCZ, a Associação Brasileiras dos Criadores de Zebu, chamado de iABCZ. São touros PO, ou seja, puro sangue, com vaca nelore puro sangue. É o sistema de Inseminação Artificial por Tempo Fixo – IATF.

Depois, o pecuarista Reinaldo Zucatelli nos mostrou a produção de teca e de eucalipto, madeira de alta qualidade que é usada na própria Fazenda Sororó para a produção de cercas.

Vimos também o galpão que no começo de julho começa a receber 400 animais para confinamento, a chamada finalização. A silagem é feita de capim mombaça e com um pequeno percentual de farelo de milho para melhorar o paladar.  A fábrica de ração e sal mineral fica na própria fazenda.

Foi muito bom conhecer a Fazenda Sororó do grupo Zucatelli e os detalhes da genética de alta qualidade produzida pela RR Agropecuária, que conta com a assessoria técnica de experientes veterinários e zootecnistas.

Nossos parabéns a todos os funcionários das 15 fazendas do Grupo Zucatelli e das concessionárias de veículos e outras empresas, especialmente os profissionais da linha de frente da genética RR Agropecuária:

Dr. Juliano Franco (FIV – fertilização in vitro) transferência de embriões de girolando e nelore. Laboratório Brioembrio de Araguaína

Dr. Fernando Freitas e Dr. Clésio Paiva (responsável pela reprodução de machos e fêmeas) serviços: andrológicos, exames de brucelose e tuberculose, diagnóstico de gestação, protocolo de IATF, vacinas reprodutivas.

Dr. Fábio Miziara (geneticista responsável pelo acasalamento e melhoramento genético).

Zootecnista Carlos Gil júnior (técnico da ABCZ- responsável pelo registro Genealógico dos animais PO e PC).

O Conexão Rural vai ao ar todo sábado às 9h30 e no domingo no mesmo horário pela Rede TV de Parauapebas (PA); pela TV Web O Progresso, de Imperatriz (MA) e pelo site O Nortão, de Porto Velho (RO).

O programa tem produção e apresentação do jornalista Lima Rodrigues; edição: João Pezão Filho; imagens: Adonias Silva, e na assistência de produção, Ana Cláudia Aragão.

Webinar aborda o tratamento de semente industrial com produtos biológicos

Em tempo de pandemia, os debates sobre agronegócio se multiplicam nas redes sociais e demonstram a força da internet em se tratamento de discussões, troca de ideias e de conhecimentos. Isto é muito bom para quem atua na área e quer se aperfeiçoar cada vez mais.

A Koppert Biological Systems, por exemplo, promove mais um webinar sobre controle biológico, nesta quinta-feira, 25 de junho, desta vez abordando com diversos especialistas o tratamento de semente industrial (TSI) com o  Trianum DS (Trichoderma harzianum Cepa T22). Trata-se do primeiro produto biológico composto por fungo do Brasil que pode ser utilizado no TSI, uma exclusividade da Koppert no País.

Nos campos demonstrativos, realizados durante a safra 2019/20, apresentou redução significativa na incidência e severidade dos patógenos de solo (fungos e nematoides). Além disso, promoveu o crescimento de raiz e parte aérea das plantas, que acarretou um incremento médio de 3,4 sacas/ha nos campos de soja. (Informação enviada para a coluna pela jornalista Flávia Romanelli, assessora de imprensa da Koppert Biological Systems).

Webinar ABAG

A descentralização do agronegócio brasileiro possibilitou que a produção permanecesse de forma contínua mesmo durante a quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus. O país produz grãos e proteínas em diversas regiões, inclusive, em áreas com baixa intensidade demográfica. Com isso, além de enfrentar com resiliência o início da doença, garantiu o abastecimento de alimentos na mesa das famílias no Brasil e no exterior, mostrando seu valor e capacidade.

Essa avaliação foi apresentada durante o do Webinar ABAG – O Agro de Ponta a Ponta, organizado pela Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), dia 15 de junho. O evento virtual, conduzido pelo presidente do conselho diretor da ABAG, Marcello Brito, debateu o tema O Agro “Dentro da Porteira”: Os desafios da produção agrícola nacional em tempos de pandemia.

Contudo, o cenário pós-pandemia pode ser diferente, uma vez que a expectativa é de que haja uma queda na demanda por alimentos devido à grave crise financeira que já se instalou no mundo. Mesmo assim, para os debatedores André Guillaumon, presidente da BrasilAgro, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé e a pecuarista Carmen Perez, a perspectiva é que o agro deva sair mais forte dessa situação.

LIVE SIIL Halal tem como objetivo ajudar empresas interessadas em acessar o mercado islâmico

 A SIIL Halal, Serviço de Inspeção Islâmica Brasil, realizará em 1º de julho, às 18h30, sua primeira LIVE com objetivo de instruir empresários sobre as oportunidades para agregar valor junto aos seus negócios via mercado islâmico.

A LIVE, com a participação do CEO da SIIL Halal, Chaiboun Darwiche, abordará diversos tópicos a fim de elucidar as dúvidas mais comuns para o acesso a este mercado. “Nossa proposta nesta LIVE é simplificar temas relacionados aos processos necessários para que uma empresa e seus produtos possam ter acesso a economia islâmica”, esclarece Chaiboun.

(Informação enviada para a coluna pelo jornalista Arthur Rodrigo Ribeiro).

Presidente da ACNB confia na manutenção dos preços firmes para o boi gordo

Apesar dos bons resultados das exportações, a pecuária de corte ainda encontra dificuldades no mercado interno e busca reverter a queda do consumo causada pela crise do coronavírus. Nabih Amin Al Aouar, presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), é otimista em relação ao 2º semestre, com manutenção das vendas externas e recuperação da demanda doméstica. “Nessa entressafra, o preço da arroba do boi gordo deve ultrapassar R$ 230,00”, aposta o dirigente.

“Logo no início da pandemia percebemos forte redução do consumo interno de carne bovina. No entanto, as oportunidades para recuperação são muitas. O recuo doméstico foi rapidamente compensado pela expansão das exportações. A China está comprando mais do que nunca e novos mercados estão se abrindo. Por outro lado, a queda da produção nos Estados Unidos, por conta dos casos de COVID-19 nos frigoríficos, também abriu mais espaços para a carne brasileira”, avalia o presidente da ACNB.

A confiança de Nabih Amin El Aouar é justificada pelo aquecimento dos preços dos bovinos de reposição, como bezerros e boi magro. “Os criadores também têm investido na aquisição de fêmeas e os preços dos reprodutores mostram-se aquecidos. São sinais de confiança na pecuária. Essa valorização reforça o quanto é importante o investimento em genética”, diz o presidente da ACNB.

(Texto Comunicação Corporativa – SP).

Cuide-se. Fique em casa. Leve bem as mãos com água e sabão e sempre que necessário, use álcool em gel.

Publicidade

Veja
Também