Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Com afastamento de Maridé Gomes, Fábio Sacramento assume vaga na Câmara de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Em Sessão Ordinária realizada na manhã desta terça-feira (8), finalmente a vaga deixada pelo afastamento do vereador Maridé Gomes (PSC) foi ocupada na Câmara Municipal de Parauapebas. Maridé teve seu afastamento determinado pelo Ministério Público do Pará por suposto envolvimento em um esquema de corrupção.

Durante uma solenidade simples que foi realizada nesta manhã, o empresário do ramo de comunicação Fábio Sacramento, Diretor do Jornal Correio do Pará, foi empossado como vereador na vaga que ficou em aberto com a saída de Maridé.
Ao assumir o cargo de vereador, Fábio Sacramento, realiza um sonho antigo, tendo em vista que por várias eleições o empresário foi candidato, mas nunca havia passado de suplente.


Nas eleições de 2012, derradeira vez em que foi candidato a vereador, Fábio Sacramento teve como sigla o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), obteve 695 votos, ficando atualmente como suplente, assume como vereador até que a Justiça decida sobre as acusações que pesam contra o vereador afastado Maridé.

Afastamento de Maridé

Após a conclusão da primeira fase operação denominada “Teia de Penélope”, desencadeada pelo Ministério Público Estadual do Pará (MPPA), o Promotor de Justiça, Hélio Rubens Pinto, um dos responsáveis pela operação, afirmou em entrevista que o vereador Maridé Gomes (PSC) foi afastado porque ele seria o responsável por articular o esquema de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas.

De acordo com o Ministério Público, Maridé aparece em vídeos recebendo dinheiro dentro de um veículo no estacionamento da Câmara de Parauapebas e durante a gravação, o parlamentar chegou a dizer que iria conversar com outros parlamentares para que os demais também participem do esquema.

Maridé Gomes foi reeleito nas últimas eleições com 1.579 votos, ele está afastado por meio de liminar em relação ao atual mandato e o MP estudará a possibilidade de pedir o afastamento também para o próximo mandato que começa em janeiro de 2017.

Publicidade

Veja
Também