Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Conexão Rural: a voz do campo na TV há sete anos no ar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Há exatamente 7 anos, dia 18 de dezembro de 2011, o programa Conexão Rural ia ao ar na Rede TV – canal 40 – de Parauapebas (PA) e na Rede Record – canal 27 – de Curionópolis (PA). Depois, a partir do dia 25 de novembro de 2012, o programa passou a ser veiculado na RBATV Band, canal 30, onde ficou por 4 anos e 7 meses e, desde o dia 13 de agosto de 2017 é veiculado na Rede TV, canal 4 analógico e canal 33 digital HD, em Parauapebas.

O programa sempre teve como objetivo levar ao telespectador as notícias de interesse do homem do campo do sul e sudeste do Pará, destacar o folclore paraense, as nossas belezas naturais, além da música sertaneja, a moda de viola, a nossa música regional e valorizar os artistas da terra.


“A meta do Conexão Rural é apresentar todo domingo dicas e orientações aos produtores rurais visando a melhoria do plantel e o aumento da produtividade da agricultura na região e divulgar as ações de empresas nas áreas ambientais e agrícolas nas regiões sul e sudeste do Pará. Além de notícias de interesse dos produtores rurais, o programa apresenta ainda entrevistas com especialistas em agricultura, piscicultura, agronegócio, entre outros temas. Vamos continuar contando a história dos agropecuaristas pioneiros do sul e sudeste do estado. Entrevistar os presidentes dos sindicatos rurais, pecuaristas e especialistas em agronegócio; uma mensagem de quem entende do assunto em conversas descontraídas no quadro Prosa na Varanda”, disse o jornalista Lima Rodrigues, produtor e apresentador do Conexão Rural.

De acordo com o apresentador, o programa busca também trazer para os produtores rurais as últimas novidades das tecnologias desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e por grandes empresas do agronegócio.

O Conexão Rural também chegou para abrir espaço para a música sertaneja; os artistas da região, cantores individuais ou duplas que cantam as coisas da terra. “Nestes sete anos, entrevistamos cerca de 90% dos cantores de Parauapebas e região, além dos principais cantores do mundo sertanejo que fazem sucesso em todo o Brasil, e vamos continuar abrindo espaço para eles, contando causos e declamando poemas bem sertanejos, porque nosso programa retrata as coisas do sertão”, destacou Lima Rodrigues.

A primeira reportagem do Conexão Rural , que foi ao ar dia 18 de dezembro de 2011, contou a história do “Seu Chagas” (Francisco Nepomuceno), de Curionópolis, que consertava e fabricava selas e outros acessórios para vaqueiros e cavaleiros. A reportagem foi gravada e editada pelo hoje fotógrafo Anderson Sousa, que foi o primeiro cinegrafista e o primeiro editor do programa. À época, Anderson trabalhava para a agência do publicitário Daniel Soares, que deu total apoio para que o jornalista Lima Rodrigues colocasse o programa no ar.

“Tudo começou com a ideia que eu tinha de fazer um programa para abordar temas ligados à zona rural e abrir espaço para a música sertaneja de raiz e a universitária, a moda de viola, além do forró pé de serra e claro, as coisas da roça; a natureza e mostrar a força do agronegócio na nossa região. E isso, humildemente, temos procurado fazer com garra, carinho, determinação e profissionalismo toda semana”, disse o produtor e apresentador do programa Lima Rodrigues, 59 anos, que está há quase 8 anos morando na região de Parauapebas (antes, ele morou quase um ano em Curionópolis).

“Estou muito feliz por ter uma pequena, mas competente equipe e ter chegado aos sete anos com muita garra e dedicação. Mas ninguém faz nada sozinho. Muita gente boa passou pelo programa nestes sete anos, como, por exemplo, o Anderson Sousa (primeiro cinegrafista e primeiro editor do programa), Iara Maia, Nayara Amorim (participaram como apresentadoras do primeiros programas), Adamor Júnior, João Batista, Neuziley Marques, William Reis, Carlos Magno, Anderson Santos, Adonias Silva, Anderson Ferreira, e tantos outros”, lembrou Lima.

“Parabéns ao editor João Pezão Filho, que é o responsável pela a edição do programa há mais de 5 anos, e ao grande Maurício de Sousa, há mais de dois anos é o cinegrafista do programa; parabéns e obrigado também ao Renato Alex, cinegrafista que presta serviço ao programa em Marabá (PA) e à minha esposa e assistente de produção, Ana Cláudia Aragão e obrigado ao amigo Daniel Soares, parceiro forte dos primeiros programas; a todos os profissionais que passaram pelo programa nos últimos sete anos: Muito obrigado pelo carinho e a audiência dos telespectadores da região sudeste do Pará. Obrigado também a todos os nossos anunciantes e à direção da Rede TV, meu amigo Genésio Filho, e aos demais amigos da Rede TV: o Valdo, o Neuziley, a Fabiana, o Aurélio Goiano, enfim, a todos da Rede TV que sempre me deram apoio desde quando cheguei na nova casa. Sem esquecer também de agradecer aos diretores de outras emissoras por onde passei: Chamozinho, que era o dono da Rede TV em 2011, quando eu comecei; Raimundo Santos e Dona Valquíria e Rodolfo Ramos, da RBATV, onde fiquei 4 anos e sete meses. E à amiga Anne Costa, que me indicou para a RBATV em 2012. Muito obrigado a todos”, declarou Lima Rodrigues, fazendo um agradecimento geral a todos que colaboraram e colaboram para o sucesso do programa Conexão Rural, a voz do campo na TV.

Perfil

O jornalista, radialista, poeta e escritor Lima Rodrigues, 59 anos, é formado em Comunicação Social – Jornalismo – pelo Centro Unificado de Ensino de Brasília (CEUB) – hoje UniCEUB, no primeiro semestre de 1984. Ele nasceu em Marabá (PA), foi criado em Imperatriz (MA), onde começou no jornalismo em junho de 1977 em O Progresso, jornal para o qual até hoje colabora escrevendo uma coluna semanal toda quarta-feira.

Lima Rodrigues trabalhou 17 anos na Rádio Nacional de Brasília e em outras inúmeras emissoras, entre as quais as rádios Bandeirantes e Eldorado, de São Paulo. Fez cobertura jornalística no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional por mais de 20 anos e fez inúmeras viagens nacionais e internacionais acompanhando os presidentes da República desde a época do presidente José Sarney.

O jornalista produziu suas primeiras matérias agrícolas em 1983 quando fazia estágio na Radiobrás, hoje EBC – Empresa Brasil de Comunicação. Lima já produziu e apresentou programas em TVs de Imperatriz, como, por exemplo, o Conexão Brasília. Desde março de 2011 morando no Pará, Lima Rodrigues chegou para valorizar a agricultura e a pecuária das regiões sul e sudeste do estado, trazendo todos os domingos às 9h30 na Rede TV- Canal 4 analógico e canal 33 digital HD de Parauapebas, o Conexão Rural, que é a voz do campo na TV. E no domingo às 11h na Rede TV de Marabá.

Lima Rodrigues foi o presidente da Academia Parauapebense de Letras (APL) no biênio 2017/2018 e como escritor e poeta cordelista já escreveu as biografias de diversas personalidades em literatura de cordel e, no final do ano passado lançou o livro infantil “Pituco, o defensor dos rios e das florestas”.

Em 2011, ele foi eleito Jornalista do Ano em Imperatriz (MA) e em 2012 Jornalista do Ano em Parauapebas.
Além de produtor e apresentador do programa Conexão Rural, Lima Rodrigues desenvolve inúmeras ações sociais em Parauapebas. Recentemente, após publicar matérias e relatos em suas redes sociais e no site www.pebinhadeacucar.com.br, o jornalista conseguiu descobrir a família do ex-andarilho Gabriel Costa de Carvalho, que andava maltrapilho pelas ruas da cidade e devolvê-lo para sua família em Formosa (GO) e em Brasília.

Por tudo isso, a Câmara de Vereadores de Parauapebas, por indicação do vereador Rafael Ribeiro (MDB), aprovou o Título de Cidadão Honorário para o jornalista, poeta e escritor Lima Rodrigues, que também é colaborador do Pebinha de Açúcar.

Publicidade

Veja
Também