Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Cooperativas de produção de mandioca e cacau em Parauapebas recebem investimentos da Vale e Sebrae

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A partir do Acordo de Cooperação Técnica e Financeira formalizado no mês de junho de 2019, Vale e Sebrae assinaram acordos em apoio aos municípios e comunidades de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Ourilândia do Norte com o objetivo de fortalecer outras cadeias produtivas, além da atividade de mineração. Os acordos foram assinados diretamente com associações de produtores de mandioca, mel e cacau na última semana.

Os investimentos envolvem capacitação e assistência técnica para projetos de cacau, nas comunidades Santa Rita e Campos Altos, em Ourilândia do Norte, e na Vila Nova Esperança, em Parauapebas. E ainda, projetos de fomento à produção de mandioca, na Vila Palmares II, em Parauapebas, e de apicultura em Canaã dos Carajás e na Vila Cedere I, também em Parauapebas.


O diferencial dessa iniciativa é que para cada atividade econômica foi acordado resultado a ser alcançado pelas cadeias produtivas no intervalo de um ano, que venha demonstrar gradativamente a capacidade e o potencial de sustentabilidade do empreendimento social.

Para o gerente de desenvolvimento territorial da Vale, Frederico Baião, apoiar os produtores dos municípios no fomento de outras cadeias produtivas é contribuir para o desenvolvimento da região, aliado ao crescimento proporcionado pela mineração. “A Vale vem há alguns anos apoiando projetos de geração de trabalho e renda nas regiões onde atuamos. As comunidades envolvidas tem apresentado resultados muito positivos com a produção agrícola. E reforçando esta parceria com o Sebrae, estamos otimistas com as cadeias do mel, cacau e mandioca, que já são desenvolvidas pelas comunidades”, destaca.

O gerente do Sebrae no Pará, Raimundo Oliveira, explica como será realizado o trabalho com as associações. “Os planos de trabalho foram estruturados de modo participativo, com as contribuições diretas das associações, o público beneficiário do projeto e representantes dos parceiros”, comenta. “Essa iniciativa é importante para desenvolver as atividades dos produtores, fomentando o empreendedorismo e contribuindo para o desenvolvimento das comunidades”, destaca Raimundo.

Osmair Prado é liderança na comunidade Nova Esperança, em Parauapebas, também acredita no apoio a diversificação da economia. A comunidade receberá fomento para a produção de cacau. “Esse projeto é importante não apenas para a nossa comunidade, mas para o município. Será uma cultura permanente que vem para ajudar a diversificar o carro chefe da matriz econômica do município, futuramente. Sentimos muito a dependência que o município tem pela mineração. Eu acredito que iremos colher bons frutos do projeto e impactar gradativamente na renda das pessoas. Estamos iniciando e após alguns anos o cacau pode se tornar um negócio de peso na região”.

Publicidade

Veja
Também