Corpo de vendedor de joias de Parauapebas é encontrado em rio de Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O corpo encontrado na manhã desta quinta-feira (15) às margens do Rio Itacaiunas, em Marabá, é de Edilson Pereira de Sousa, que havia desaparecido no último dia 13 de abril. Familiares da vítima estiveram no local e, muito abalados, acompanharam todo o processo de remoção do cadáver.

Um dos irmãos de Edilson conversou com a nossa equipe de reportagem e informou que a família reside em Conceição do Araguaia. Segundo ele, a vítima estava morando, atualmente, em Parauapebas, porém sempre vinha a Marabá, pois havia iniciado recentemente um namoro com uma moça desta cidade.


A companheira em questão acompanhou os irmãos no local. Ela, contudo, esteve o tempo todo sozinha, muito emocionada e falando ao telefone, onde narrava que a família de Edilson estava muito feliz com o relacionamento dos dois. Inclusive, detalhou que quando soube que o veículo havia sido encontrado, ela estava trabalhando.

A equipe do CORREIO levantou, junto à Polícia, que Edilson trabalhava como vendedor de joias. Porém, não foram encontrados mostruários dentro do Jeep Renegade.

O Corpo de Bombeiros e o Centro de Perícias Renato Chaves foram acionados para fazer a remoção do corpo.

Como o local é de difícil acesso, a equipe do Corpo de Bombeiros utilizou uma lancha para remover o cadáver. A equipe do IML aguardava nas margens do balneário Vavazão, para que pudesse encaminhar o corpo ao centro de perícias.

Foto: Evangelista Rocha

 

De acordo com o delegado Thiago Carneiro, que esteve no local, agora serão feitas investigações para identificar o instrumento que foi utilizado para ceifar a vida da vítima. “Também queremos saber qual foi a real motivação para o crime e descobrir os autores desse assassinato”, sustentou.

Dentro do veículo foram encontrados e coletados vários objetos que já estão anexados ao inquérito policial, e que poderão ajudar a elucidar mais esse crime em Marabá.

A Polícia Civil ainda não confirmou se foi um homicídio ou um latrocínio.

veja também