Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Deputado Gesmar prestigia inauguração do Centro Cultural Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Com uma grande solenidade, o Centro Cultural Parauapebas, localizado na rua 01, quadra especial, bairro Alvorá, na proximidades do Shopping Center foi inaugurado no último sábado (09) e atraiu centenas de pessoas ligadas a cultura.

Além do prefeito Darci Lermen, vereadores e do diretor de ferrosos da Vale, Antônio Padovesi, o deputado estadual Gesmar Costa (PSD) também esteve presente no local.


O Centro Cultural Parauapebas é fruto de um acordo judicial sobre as chamadas horas intíneres, que são o espaço de tempo que os trabalhadores levavam da residência ao local de trabalho. Durante muitos anos essa demanda judicial esteve no Tribunal da Justiça do Trabalho.

Em primeiro momento, o local destinado era na rua E, na Cidade Nova. Em 2013 a pedra fundamental chegou a ser lançada, mas, em virtude de outras prioridades da prefeitura, o prédio foi construído no bairro Alvorá.

O prédio é dotado de sala de música, com suporte para partituras e depósito para instrumentos, sala de dança com estrutura, sala audiovisual, teatro para 200 pessoas, camarins coletivos e individuais, além de biblioteca para 2 mil volumes.

A fala de Padovesi, enfatizou que os recursos destinados ao município, por meio de iniciativas como as instalações do IFPA, na Cidade Nova e a Escola Modelo, na qual mais de 1.500 alunos concluíram o Ensino Médio e cursos profissionalizantes, ultrapassavam os R$ 25 milhões.

O deputado Gesmar usou a palavra, classificando o momento como histórico. “O momento é de comemorar porque a tendência é que tenhamos um 2018 melhor do que foi em 2017, conseguimos avançar na questão do ICMS e aumentamos a quota parte desse tributo, o CFEM vai mais do que dobrar, acredito que chegaremos aos R$ 50 milhões por mês, a minha proposta é que possamos tirar um percentual para o Fundo de Cultura, quem sabe meio por cento desse valor, e aí teríamos algo em torno de R$ 3 milhões por ano. Com esses recursos o município teria como fazer cultura”.

Gesmar rebateu a ideia de que ele iria fazer oposição ao governo atual, “Nós não vamos discutir picuinhas políticas, Parauapebas precisa que somemos força para o seu desenvolvimento. É o que estou fazendo”, finalizou.

Publicidade

Veja
Também