Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Desempregados fazem protesto na Câmara Municipal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O tumulto ocorreu na porta do gabinete da presidência

O desemprego em Parauapebas tem tornado difícil a vida de muitos; enquanto isso, a busca por emprego é algo competitivo que tem sido, inclusive, motivo de protestos tanto na porta do Sistema Nacional de Emprego (SINE), na portaria da Floresta Nacional de Carajás (FLONACA) e agora chegou à Câmara Municipal, onde o protesto ocorreu, nesta terça-feira (16), durante a sessão ordinária.

“Nós que somos moradores de Parauapebas estamos enfrentando dificuldades de conseguir trabalho, já que as empresas estão trazendo mão de obra de fora; a gente vai ao SINE e não somos encaminhados para as empresas e quando dizem que encaminharam, as empresas nunca ligam para fazer entrevistas”, conta Fábio Santos, motorista, desempregado há dois anos, período em que diz ter procurado o SINE, mas, não acredita que por intermédio daquela unidade irá conseguir alguma oportunidade.


Fábio Santos, motorista, desempregado

 

O movimento, conforme explicado por José Onilson, encarregado de obras, desempregado, não tem cunho político, sendo apenas pais e mães de famílias que anseiam um trabalho pra manter seus filhos. “Temos diversas especialidades de mão de obra qualificada, o que torna desnecessário trazer mão de obra de outros municípios ou estados”, reafirma José Onilson, dizendo querer uma resposta das autoridades referente à lei já existente onde obriga as empresas a contratar pessoas de Parauapebas para a execução de seus contratos.

José Onilson, encarregado de obras, desempregado

 

Foi por esse motivo que vários trabalhadores desempregados estiveram na sessão da Câmara Municipal, onde, em um ato pacífico demonstraram suas indignações com a forma como vem sendo tratados no SINE. Tão logo chegaram, o presidente da Câmara, vereador Luís Castilho, assumiu o compromisso de receber uma comissão para ouvi-los e auxiliar no que esteja ao alcance dos vereadores.

Assim, tão logo encerrada a sessão, diversos vereadores aguardavam a comissão, formada por desempregados, na sala de reuniões da presidência daquela Casa de Leis.
Portanto, duas pessoas que não fazem parte dos desempregados, porém, fazem parte do Movimento de Combate à Corrupção de Parauapebas (MCCP), demonstraram interesse em participar da reunião. Assim,  de acordo com os vereadores, ficou inviável que a reunião acontecesse, uma vez que o compromisso dos parlamentares seria receber apenas pessoas que compõem o grupo em questão. Diante da recusa, a reunião foi cancelada e deve ser remarcada em breve.

Publicidade

Veja
Também