Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Desempregados interditam Rodovia Faruk Salmen em protesto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um ato que iniciou na madrugada de hoje, sexta-feira, 4, e segundo os manifestantes não tem previsão de ser encerrado. Trata-se da interdição da Rodovia Municipal Faruk Salmen, no sentido Parauapebas / Palmares, cujo bloqueio, feito com a queima de pneus, está na rotatória da Palmares Sul onde só é permitido passar carros sem timbres de empresas que prestam serviços para a mineradora Vale.

De acordo com um dos manifestantes, Jadson Feitosa da Silva, morador do Complexo Altamira, a intenção do ato é chamar a atenção para o sério problema do desemprego em Parauapebas. “As pessoas da comissão de emprego só apareceram agora em período pré-eleitoral dizendo querer ajudar, mas não o fizeram antes”, diz Jadson com ar de impressionado, reafirmando que o objetivo do protesto é tentar reunir com as empresas que executam contratos em Parauapebas e estão trazendo mão de obra de fora; e Jadson diz querer que se priorize mão de obra local.


Ele explica que o bloqueio é apenas para veículos de empresas que prestam serviços para a mineradora Vale, a quem enviam o recado. “A Vale pode ajudar com isso, já que ela é a dona do contrato pode cobrar das empresas estas contratações, pois o que sabemos é que vem mais demissões nos próximos meses”, preocupa-se Jadson, citando que fazem parte do movimento moradores dos bairros Palmares II, Palmares Sul, Complexo Altamira e outros.

O manifestante deixou claro que o SINE (Sistema Nacional de Emprego) não tem a mínima credibilidade entre os desempregados por não ter feito o que deve pela solução dos desempregos. Ainda segundo ele, para arrumar emprego via SINE é preciso passar por vereador que só indica para empresas o que ele quer.

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) é um dos apoiadores do ato e ali foi representado pelo líder Jorge Neres, que falou com a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar. Segundo ele, o impacto do desemprego termina por atingir as periferias; ele cita como exemplo a metade da população de Palmares II e Palmares Sul estar desempregada. “Com isso muita gente fica sem poder pagar aluguel, a conta de luz ou outras contas básicas”, diz Neres, afirmando que este não é um problema novo, pois estão desde 2013 querendo discutir uma política mínima de emprego para evitar o caos.

Jorge Neres aponta como possibilidade de resolver os problemas do desemprego coisas simples como por exemplo a substituição dos dormentes da EFC (Estrada de Ferro Carajás), antes de madeira e agora de concreto.

Segundo ele as peças de concreto foram feitas por empresas de fora, enquanto se tivesse sido fabricados aqui na região, teria gerado inúmeros empregos.
Ele lembra que foi feita na última terça-feira, na porta do SINE, uma ação conjunta para chamar a atenção do Poder Público acerca da situação do desemprego e assegura que este mês será de ações em torno de trazer a solução para milhares de pessoas que vinham sofrendo caladas.

Até ao meio dia, momento em que nossa equipe de reportagens esteve no local, a polícia não tinha se manifestado e nem estava no local onde acontecia um ato pacífico.

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também