Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Dilma admite desvio na Petrobras pela primeira vez

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após as denúncias do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa, Dilma Rousseff, admitiu neste sábado (18) que “houve desvio” na Petrobras.  Foi a primeira vez que a presidente confirmou o desvio. Durante uma entrevista coletiva nesta tarde, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência foi dada tal confirmação:

“Se houve desvio de dinheiro público queremos ele de volta. Se houve não, houve, viu?”


Dilma também ratificou que o governo pretende pedir o ressarcimento de todos os recursos desviados pelo esquema comandado por Costa, com recursos desviados por meio de construtoras para financiar partidos políticos – entre eles, o próprio PT, o PMDB e o PP. “Eu tomarei todas as medidas para ressarcir tudo e todos”, disse. “Farei todo o possível para ressarcir o País.”

Entretanto, a presidente disse que ainda não foi informada sobre valores que poderiam voltar para a estatal em razão da recusa do Supremo Tribunal Federal (STF) de permitir o acesso do governo a detalhes da delação premiada de Costa. “Ninguém sabe o que tem para ser ressarcido, porque os dados mais importantes da delação premiada não foram entregues a nós”, disse.

Quando foi questionada sobre se o pagamento de R$ 10 milhões por Costa ao ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, falecido este ano, tiraria dos tucanos a bandeira da ética, ela afirmou que “ninguém está acima de suspeita”. “Não acho que ninguém no País tenha a primazia da bandeira da ética. Até o retrospecto do PSDB não lhe dá essa condição. Acho que não dá a partido nenhum” comentou. “Acho que ninguém está acima de qualquer suspeita no Brasil.”

Publicidade

Veja
Também