Dois acusados por matança de onças em Curionópolis já estão soltos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Duas pessoas foram soltas e só uma deve continuar presa no caso da morte de onças ocorrido na última semana em Curionópolis. Segundo o delegado Nelson Júnior, da Polícia Civil de Parauapebas, foram liberados Francisco Evangelista, de 69 anos, e uma mulher. No caso dela foi arbitrada fiança no valor de um salário mínimo e de Evangelista, com quem foram encontradas só duas armas, foi arbitrado o valor de meio salário mínimo.

Júlio César, de 54 anos, acusado de ser o dono das cabeças, patas e caudas dos animais e na casa de quem também foi encontrado o verdadeiro arsenal de armas, teve a prisão preventiva decretada e ontem, segunda-feira (29), iria acontecer a audiência de custódia dele, quando a justiça deveria decidir se a prisão seria mantida ou não.


Pela morte dos animais, o Ibama, segundo o delegado Nelson, estipulou multa, que deve ultrapassar os R$ 50 mil. Ao todo, 19 cabeças de onças foram apreendidas na operação realizada pela Polícia Militar, que aconteceu na última sexta-feira (26). Nesta terça-feira (30), acontece a necropsia dos animais, que vai ser acompanhada por equipe do Ibama, CMBio e Parque Zoobotânico de Carajás.

Reportagem: Tina Santos / Grupo Correio de Comunicação

veja também