Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Em Parauapebas, sessão após eleição abre espaço para agradecimentos e despedidas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na Sessão Ordinária ocorrida nesta terça-feira (17), na Câmara Municipal de Parauapebas, puderam ser vistos nomes e caras que se tornaram comuns na política da “Capital do Minério”, alguns já estando por lá há 12 anos como titular de uma cadeira.

Porém, pelo menos nos próximos quatro anos, uns não serão mais vistos por lá, dando espaço para novos eleitos. Já que as eleições ocorridas no dia 15 de novembro marcaram um novo momento para a política em Parauapebas, quando se deu a oportunidade para renovação do parlamento municipal, sendo que dos 13 vereadores que tentaram a reeleição, apenas seis retornarão à suas cadeiras em 2021.


Além de João do Feijão e Joelma Leite, que não disputaram a reeleição, deixarão de fazer parte do parlamento municipal: Francisca Ciza, do PP; Francisco Pavão e Coutinho, do MDB; Kelen Adriana, do PTB; Horácio Martins, do PDT; Marcelo Parcerinho, do PSB; e Maridé Gomes, do PSC.

Em seus lugares se sentarão: Zé do Bode e Rafael Ribeiro, do MDB; Francisco Eloécio, do Republicanos; Aurélio Goiano, do PSD; Josivaldo da Farmácia, do PP; Miquinha, do PT; Léomárcio, Josemir e Leandro do Chiquito, do PROS.
Esses, se juntarão aos reeleitos que são: Ivanaldo Braz e Joel do Sindicato, PDT; Eliene Soares, MDB; Luíz Castilho, PROS; Elias da Construforte, PSB; Zacarias Marques, PP.

Com essa composição, a Câmara de Parauapebas contará com apenas oito vereadores que já têm vivência parlamentar, já que tanto Miquinha, quanto Aurélio Goiano, já tiveram mandatos. Sendo que o primeiro, Miquinha, foi vereador por dois mandatos em Parauapebas e Aurélio teve um mandato no município de Água Fria, no Estado de Goiás. Os demais, terão pela primeira vez a experiência parlamentar.

 

Na sessão ordinária, ocorrida na manhã de hoje, não foi apresentada nem votada nenhuma matéria; tendo forma de sessão solene. Nela houveram apenas espaços para os agradecimentos dos vereadores reeleitos e discursos de despedidas para os não reeleitos.

Na próxima sessão, que acontecerá na próxima terça-feira (24), já se dará início à votação do orçamento, dando assim legalidade á Lei Orçamentária Anual (LOA), para 2021.

Reportagem: Francesco Costa  |  Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também