Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Empresas que prestam serviços para a Vale dão calote de R$ 12 milhões em Parauapebas

A diretoria da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (ACIP), recebeu na tarde da última sexta-feira (18), algumas empresas informando serem credoras das empresas Niplan Engenharia LTDA e WSL3C – Consorcio Expansão Salobo III (Andrade Gutierrez). O montante somado de todos os credores passa da casa de R$ 12.000.000,00 (doze milhões de reais).

A ACIP fez um levantamento entre as empresas credoras e estima-se que mais de 700 colaboradores estão sendo afetados direto ou indiretamente com esses possíveis calotes.

A direção da ACIP informou que está em conversa apenas com os gestores do contrato da Andrade Gutierrez, que é provável que haja negociação completa ou parcial dos débitos. Porém a entidade questiona: “Até quando o empresariado de Parauapebas vai sofrer com essas empresas que vem de passagem para o nosso município?”.

Na reunião, a ACIP relembrou algumas empresas que deixaram calotes no comércio local de Parauapebas: Ferreira Pires, Hidelma, Santa Barbara, CBMI, SMI, WO Engenharia, Transglobal, Integral Engenharia, Betompoxi, entre outras.

Em nota, a ACIP saiu em defesa dos empresários locais:

“O empresariado de Parauapebas não aguenta mais tanto prejuízo, está na hora de ser criado mecanismos ou utilizar dos que já temos para obrigar que essas empresas quitem seus débitos. A ACIP dispõe de duas ferramentas que deveriam ser usadas de forma eficaz, sendo elas: Certidão Negativa e o SAF – Sistema de Análise de Fornecedores, onde os associados registram as notas vencidas e é feito um monitoramento da inadimplência. Ressaltamos que apenas ano passado (2021) essas ferramentas (Certidão Negativa e SAF) reduziu mais de R$ 7.000.000,00 (sete milhões de reais) de possíveis calotes.

Esperamos que a situação possa ser resolvida sem precisarmos ir para as vias jurídicas. Priorizamos sempre pelo diálogo, acreditamos que a conversa é sempre a melhor via de negociação.

Ressaltamos ainda que, em Parauapebas existem grandes empresas com porte e capacidade para gerir grandes obras, empresas que conhecem a logística da cidade, diferente dessas empresas que vem de outros estados e não conhecem a realidade do município. As empresas de Parauapebas estão apenas em busca de oportunidades para mostrar a sua competência.

A ACIP está aqui sempre para defender a classe empresarial de Parauapebas”.

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário