Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Encontro de empreendedores cooperativistas acontece em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Serão seis dias de lições sobre educação cooperativista ministradas pela facilitadora Aldina Chaves que trará aos participantes o passo a passo de como constituir uma cooperativa em seus ramos específicos, criar as diretorias e como funciona na prática.

O primeiro dia ocorreu hoje, 25, no auditório do CEUP – Centro Universitário de Parauapebas, onde contou com a participação de pelo menos 60 participantes, alguns deles já fazem partes de cooperativas distintas, outros de associações que pretendem criar cooperativas.


Para dar início ao aprendizado, os participantes de se dividiram em grupos e cada um pôs-se a debater a respeito de princípios do cooperativismo, sendo: adesão voluntária e livre; gestão democrática e livre; participação econômica dos associados; autonomia e independência; educação, formação e informação; cooperação entre cooperativas; interesse pela comunidade.

A ideia da formação dos grupos foi, segundo Aldina Chaves, despertar o interesse dos participantes em defender ideias de cooperação e fazê-los já cooperando, pois, os grupos de discussão já representam o cooperativismo, onde até as divergências de opinião cooperam para a formação de um parecer final. “O objetivo é disseminar os princípios cooperativistas, tendo como alvo os agricultores; ou seja, facilitar o cooperativismo na agricultura familiar”, resume Aldina, fato que ela diz ter sido recebido pelos agricultores com muita curiosidade e interesse tendo o número previsto de participantes superado o previsto.

Segundo Aldina Chaves, um grupo de cooperados participa de uma capacitação como essa trazendo interesses específicos buscando soluções, enquanto que os não cooperados vem na intenção de tirar dúvidas e entender porque ser cooperado em busca de informação.

Aldina prevê que nas várias comunidades em que ministrará o curso durante esta semana tenha o mesmo interesse em participar; e enumera que amanhã, 26, ocorrerá na Palmares; dia 27, quarta-feira, no CEDERE I; 28, quinta-feira, na Vila Paulo Fonteles; dia 29, sexta-feira, na Vila Carlos Fonseca; e no sábado, 30, se dará o encerramento no Auditório da Prefeitura Municipal de Parauapebas, onde ocorrerá a recapitulação de tudo o que foi ensinado e debatido entre todos os participantes; além da participação de representantes do SICREDI (cooperativa de crédito), que, através de sua história demonstrará a importância de se unir em cooperativa.

O 1° Encontro Municipal de Empreendedores Cooperativistas é uma realização da SEMPROR – Secretaria Municipal de Produção Rural, em parceria com a OCB – Organização das Cooperativas do Brasil, e trará a discussão em vários polos de Parauapebas e zona rural, promovendo um encontro entre cooperativas, compradoras e fornecedoras, incentivando assim a criação de grandes parcerias de negócios na cidade, através de cursos, seminários e exposições voltados para o homem do campo e empresas que atuam no setor.

Na opinião do Secretário Municipal de Produção Rural, Elrisval Martins, o Totô, o sistema de produção no Município de Parauapebas tem um custo muito alto provocando perde de espaço na disputa de mercado. “Individualmente é difícil reduzir custos; por isso é preciso se juntar fazendo o mínimo de cooperação possível para reduzir”, admite Totô, detalhando que o principal objetivo do 1° Encontro Municipal de Empreendedores Cooperativistas é fortalecer a cooperação e o entendimento entre os trabalhadores na busca de mercado.

Totô diz que a SEMPROR continuará com o processo de educação do cooperativismo, fazendo outros eventos desta natureza através de parceria com a OCB, fomentando, segundo ele, através da visão do cooperativismo a criação de organizações muito mais sólidas do que temos no momento. “Ainda há resistência dos produtores quanto a juntar-se em grupos cooperados, mas, eles terminam entendendo que sozinhos não conseguem ter tecnologias como, por exemplo, um trator. E quando eles se associam em cooperativas eles passam a ter o trator para preparar um solo e assim produzir em escala maior e ainda juntas as produções e ganhar mercado com chances de vencer a competitividade”, orienta Totô.

Entre as diversas cooperativas que participou hoje, do primeiro dia do Encontro Municipal de Empreendedores Cooperativistas, estava a COOPER – Cooperativa dos Produtores Rurais da Região de Carajás, representada pelo seu presidente Mauro Melo; este disse esperar que este evento venha trazer mais conhecimento e tirar dúvidas de alguns que queiram entender o que é cooperativa. “Para participar de uma cooperativa é preciso a adesão voluntária do produtor. Estamos de portas abertas para aqueles que venham somar ao se filiar à COOPER”, orienta Mauro Melo.

 

Outro participante foi José Rodrigues, da APROVIPAR – Associação dos Produtores Rurais de Vila Palmares, e qualificou ser de grande importância uma formação como esta, de onde diz esperar extrair grandes aprendizados; e reconhece ser diferente a associação de cooperativa. “Nosso intuito é breve nos tornar uma cooperativa; viemos aqui para aprender”, resume José Rodrigues.

Rosilda Roberta participou representando a COOPROPAR – Cooperativa dos Produtores de Parauapebas, entidade da qual ela é presidente. Segundo ela os produtores não tem conseguido abastecer o mercado local com produtos que podem ser produzidos aqui mesmo na propriedades rurais do Município. “Precisamos mudar esta realidade para que, além de termos produtos com mais qualidade e preços mais em conta, possamos contribuir para a geração de emprego e renda, já que a agricultura familiar tem este perfil”, vislumbra Rosilda.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também