Equipamentos de Israel não são efetivos para as buscas em Brumadinho

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foto: Divulgação

Os equipamentos trazidos de Israel para Brumadinho (MG) “não são efetivos para esse tipo de desastre”, disse o comandante das operações de resgate, o tenente-coronel Eduardo Ângelo.

“O ministro de Israel se pronunciou a respeito das dificuldades que eles tiveram. O imagiador que eles têm pegam corpos quentes, e todos os corpos [na região] são frios. Então esse já é um equipamento ineficiente”.


Indagado sobre o que outros equipamentos israelenses podem ser usados nas buscas, o comandante afirmou: “Dos equipamentos que eles trouxeram, nenhum se aplica a esse tipo de desastre”.

O militar reconheceu que o detector de imagens poderia ser eficaz para localização de sobreviventes, pois capta o calor humano. Porém, nenhum sobrevivente foi localizado pelas buscas das últimas 48 horas. “O que faz [constitui] a imagem é a temperatura. Quando a temperatura está homogênea, é como se não houvesse nada no solo”.

O comandante, porém, disse que o apoio dos israelenses é importante e funciona “como mão-de-obra”. “As equipes de campo estão acompanhadas pelas equipes dos bombeiros de Minas Gerais.”

O comandante voltou a dizer que são pequenas as chances de localização de sobreviventes.

“O que a literatura fala é que depois de 48 horas, a chance é quase nula. Mas existem registro de pessoas que foram encontradas vivas dias depois, mas é um ponto fora da curva. A experiência mostra que a cada dia que passa, a chance é menor”.

Representante palestino pede que Brasil mantenha embaixada em Tel Aviv

Em reunião com o presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, o embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, pediu hoje (28) que a Embaixada do Brasil em Israel seja mantida em TelAviv, e não transferida para Jerusalém. O tema está em discussão no governo federal.

“[O assunto] será estudado pelas altas autoridades brasileiras, e esperamos que não aconteça. Isso está em discussão, em discussão muito longa”, disse o palestino. Para o embaixador, a transferência pode ser “danosa”. “Isso vai ser danoso para israelenses, para palestinos, para o Brasil, para o mundo inteiro, para a paz. Assim, esperamos que não aconteça.”

Publicidade

veja também