Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Escolas com sala de informática no Pará receberão plataforma Seduc Digital

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Para ensinar os professores e alunos a navegarem na plataforma Seduc Digital, de modo a potencializar as pesquisas e obter êxito na aprendizagem, o formador do Núcleo de Tecnologia de Belém (NTE), Luciano Melo, já pensa em levar a novidade às 150 escolas com laboratório de informática da Região Metropolitana de Belém (RMB), com a realização de minicursos a partir de agosto. A ideia é uma das propostas apresentadas na capacitação do Encontro de Formadores dos NTE’s e Técnicos dos Municípios-piloto do Pacto pela Educação, nesta quarta-feira, 24, na escola Anísio Teixeira, no Umarizal.

Segundo o professor, a proposta é que os minicursos sejam voltados para as disciplinas de Matemática e Física ou de Introdução à Educação Digital, para que os alunos do ensino médio possam fazer a pesquisa no Seduc Digital, usando as interfaces do software Geogebra para discutir questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do vestibular. “É uma plataforma muito boa, com uma infraestrutura preparada para que os alunos possam filtrar sua pesquisa, para o aprendizado dos alunos e o ensino dos professores para melhorarmos o IDEB do nosso estado”, disse Luciano Melo.


A plataforma Seduc Digital é uma das ferramentas do Pacto pela Educação do Pará, que tem como meta principal aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em 30%, para todos os níveis, do ensino fundamental I e II e médio, até 2017. Disponível no endereço seducdigital.pa.gov.br, o site de buscas gratuito reúne 22 mil Objetos Digitais de Aprendizagem, as ODAS, com videoaulas, games, infográficos, mapas e outros recursos digitais escolhidos para que a aprendizagem ocorra de forma dinâmica e criativa, dentro e fora da sala de aula.

A plataforma já foi levada para 17 estados, por meio do projeto Escola Digital, com os parceiros do Pacto, a Fundação Telefônica, Instituto Natura e Instituto Inspirare, e também pela Seduc, com os projetos Portal Educacional e Sistema de Educação Interativa, que será lançado ainda esse ano. No Pará, o diferencial será todo o acompanhamento pedagógico que os técnicos da Seduc farão nas aulas para que os alunos, pais e professores aprendam a usar os objetos.

Segundo Tereza Jordão, do Instituto Natura, a nova plataforma facilitará a busca para o professor de informações antes espalhadas pela internet. “A plataforma serve como um apoio para o professor, mas na verdade a proposta é que o professor repense a forma como vem dando aula, para saber se atende às expectativas dessa nova geração de alunos”, disse ela.

Cerca de 70 agentes multiplicadores de onze NTE’s em Belém, Ananindeua, Abaetetuba, Benevides, Castanhal, Bragança, Tucuruí, Altamira, Marabá, Redenção e Santarém, além de 35 técnicos das secretarias de Educação dos 17 municípios-piloto do Pacto, participaram da capacitação sobre o uso das plataformas educacionais gratuitas e ODAS, desde o dia 22 até o dia 26 deste mês.

A orientação é dos parceiros do Pacto pela Educação, entre eles, a Universidade Federal Rural do Pará (UFRA) e a Universidade Federal do Pará (UFPA), com palestras sobre Educação à Distância e Formação Continuada e Tecnologia na Prática Docente, além de videoconferência sobre Educação Híbrida, da Fundação Lemman; projetos como Escola Rural Conectada, do Instituto Crescer, e Plinks, a plataforma gameficada (de jogo digital) criada para auxiliar os alunos do ensino fundamental.

Os formadores serão responsáveis por levarem as novidades sobre as plataformas educacionais gratuitas a 756 escolas com salas de informática do Estado. O encontro é parte do resultado 7, sobre uso das tecnologias para melhoria da prática docente e da gestão escolar e da sociedade por meio de dois projetos, o Portal Educacional e o Sistema de Educação Interativo, que será lançado ainda esse ano.

Reportagem: Julie Rocha

Publicidade

Veja
Também